Pesquisar este blog

sábado, 28 de maio de 2016

Cátedra de Pedro ou privada do Jorge?



O bergoglismo é uma tentativa calculada, sistemática e metódica de transformar a cátedra de Pedro na privada do Jorge, de onde o antipapa envia urbi et orbi a merda de suas heresias, blasfêmias e sacrilégios.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

A barca de Pedro, a tempestade, o papa e o antipapa



Em momentos de forte borrasca, em que a nau de Pedro parece prestes a naufragar sem que haja remédio humano possível, o papa retira-se para rezar, e pede ao Senhor que salve a sua barca da procela:

Há momentos em que as águas estiveram agitadas, e o vento, contrário, como em toda a história da Igreja, em que o Senhor parecia dormir. Mas eu sempre soube que naquele barco estava o Senhor e que o barco não era meu, nem de vocês, mas Dele, que não o deixa naufragar. É Ele que o conduz, certamente através também dos homens que escolhe, porque os quer. Esta foi e é uma certeza que nada pode ofuscar.
(Bento XVI, discurso de despedida)


O antipapa, porém, atira Jesus Cristo às ondas, para diminuir o peso da barca.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Corpus Christi: a diferença entre um papa e um antipapa



Um papa ajoelha-se diante do Santíssimo; um antipapa, não.
Como sabemos, para Jorge Bergoglio, o Omnipotente, não é ele que deve ajoelhar-se diante do Santíssimo, é o Santíssimo que deve ajoelhar-se diante dele.

Repetita juvant.

PS: O sacrilégio repetiu-se este ano. Quem tiver estômago pode conferir no vídeo abaixo.



Aqui o comentário (em italiano) de Antonio Socci, onde lembra com muita felicidade a afirmação do Papa Bento XVI de que a incapacidade de ajoelhar-se é a essência do diabólico.

Amoris laetitia e o sonho de Cinderela


Romântica foto de Tucho Fernandez, o Doctor Beijocarius, autor do infame capítulo 8 da infame Amoris Laetitia.
Coisa mais fofa!
Como dizem os americanos, uma foto vale mais que mil palavras.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Dois ou um


A pedra é uma só, e é preciso fazer de tudo para que não se rompa.
Mas quando ela se parte, continuar dizendo que dois são um é simplesmente  mentira. E a mentira jamais trará de volta a unidade primitiva.


segunda-feira, 16 de maio de 2016

O marquês de Sade e Amoris laetitia



Percorrendo os blogs conservadores bergoglianos, não é difícil perceber que os intrépidos defensores do rotariano argentino estão encontrando sérios problemas na interpretação em chave continuísta da exortação antiapostólica Amoris laetitia. Coincidentemente, um amigo meu que vem há tempos tentando interpretar as obras do marquês de Sade também em continuidade com o magistério da Igreja confessou-me que se tem deparado com os mesmos problemas.