Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de abril de 2016

O antipapa e o populismo: o povo é o ópio da religião


Interessante artigo de Sandro Magister sobre o populismo do antipapa, em que o prof. Loris Zanatta analisa a importância do conceito de povo, "categoria mística", no desastre da igreja bergogliana.

Segundo Bergoglio, o povo das favelas e das periferias, detentor de todas as virtudes, seria a reserva moral da humanidade, o "povo de Deus" da falecida teologia da libertação.

Nada mais longe da realidade. Quem conhece mesmo superficialmente a periferia, sabe que é muitas vezes lugar de violência, crime e devassidão. Não por culpa dos moradores, é verdade, mas do abandono moral em que se encontram, vítimas diárias das redes Globos e Records da vida. Mas que não sejam oásis de virtude em nosso mundo pervertido, é claro que não.

Essa é uma típica "viagem" de religiosos défroqués, que perderam completamente a Fé; uma deformação da realidade que lhes permite continuar levando suas medíocres vidinhas de apóstatas.

Para esses discípulos marxistas de sacristia, vale uma adaptação do bordão do mestre: o povo é o ópio da religião.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Para o antipapa, desobedecer a Cristo e permitir o sacrilégio não tem a mínima importância



Numa demonstração inequívoca de seu desprezo pela fé católica, o antipapa, em mais uma de suas catastróficas entrevistas aeronáuticas, deixou claro que não dá a mínima importância ao fato de ter destruído o dogma católico, ao desobedecer frontalmente a uma ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo acerca do divórcio.

Para ele, como não se cansou de martelar repetidas vezes, a partir de 19:00, o importante é o desemprego dos jovens ou a baixa natalidade dos europeus. Permitir ou não a comunhão aos adúlteros é uma questão secundária.

Ou seja, a desobediência a Cristo, a disciplina dos sacramentos, a sacramentalização do adultério, o desafio ao ensinamento bimilenar da Igreja são coisa secundária.

Além de ousar cometer tudo isso, sem o mínimo pudor, o antipapa rotariano tem a cara de pau de declarar que isso não tem nenhuma importância.

Maior demonstração de desprezo à Fé, à Tradição, aos sacramentos, à moral, impossível.

A boçalidade é realmente infinita.

Garabandal previu o Sínodo contra a família e o antipapado de Jorge Bergoglio

A Virgem de Garabandal revelou a Conchita que, depois de João XXIII, haveria só mais três papas. Assim apresentada, a profecia de Nossa Senhora deu margem a dúvidas: como entender que tenhamos tido já 5 papas desde Roncalli, sem contradizer a predição mariana?

A esta dúvida responde o site garabandaliano O Aviso Mundial

Na verdade, como fica claro em entrevista concedida por Conchita já em 1965, Nossa Senhora falou em quatro papas, um dos quais com um pontificado breve demais, que seria desconsiderado - João Paulo I. Além disso, haveria um quinto "papa" que ela não levaria em conta, certamente por não ser legítimo: Jorge Bergoglio (aqui). Esse falso pontificado marcaria o início do fim dos tempos.

Além disso, a Virgem também previu a realização de um Sínodo muito importante, que também marcaria o fim dos tempos e antecederia o famoso Sinal.

De fato, com a tenebrosa exortação apostólica Amoris laetitia (que alguns traduzem por  Os Prazeres do Sexo), o Sínodo bergogliano contra a família marca o fim de 2000 anos de ininterrupta custódia e transmissão da Revelação de Cristo por parte da Igreja Católica.

Estão abertas as portas para o Apocalipse.

terça-feira, 12 de abril de 2016

Manter aberta a porta do céu: eis a luta contra Bergoglio

É preciso entender com clareza o que está em jogo por trás das ambiguidades, das heresias, das blasfêmias, dos sacrilégios deste antipontificado satânico: o que está em jogo é nada menos que a Fé católica. Eis o alvo de Jorge Bergoglio e capangas.

A Fé católica, que é a chave da porta do Céu, a ferramenta de nossa salvação.


Qui crediderit et baptizatus fuerit, salvus erit; qui vero non crediderit, condemnabitur.

Quem crer e for batizado, será salvo; quem, porém, não crer, será condenado. (Marcos, 16, 16)

Trata-se, portanto, de manter aberta a porta da Salvação.

Nada mais, nada menos.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Amoris laetitia: demonstração por absurdo da ilegitimidade do antipontificado de Jorge Bergoglio

As heresias, os sacrilégios, as blasfêmias, o divórcio Express e agora a inefável exortação Amoris laetitia compõem, em seu conjunto, uma solidíssima demonstração pelo absurdo da invalidade da eleição do antipapa  Bergoglio. Ainda que não houvesse um dossier tão nutrido de provas sobre a nulidade da renúncia de Bento XVI, por não livre, só essa repetida exibição de ódio à Fé já bastaria para descartar esse antipontificado diabólico.

Sem falar que Bergoglio na cátedra de Pedro é tão perigoso como um chipanzé com uma metralhadora: é uma ameaça diária, sistemática, metódica contra a integridade da Fé e, portanto, contra a mesma vida da Igreja.

Combatê-lo é hoje o dever número 1 de todo cristão.

É claro que esse dever cabe em primeiro lugar aos cardeais e prelados, mas se eles calam, como vêm fazendo há meses - e mesmo Mgr. Fellay, o principal herdeiro do maior defensor da Tradição no post-concílio, Mgr. Marcel Lefebvre - então até as pedras e os simples católicos devem gritar sobre os tetos.

sábado, 9 de abril de 2016

FSSPX e a comunhão aos divorciados requentados e demais pecadores públicos

Após a leitura da saborosa nota da FSSPX sobre a sua atual rosicler relação com o antipapa e  depois da leitura da deliciosa exortação apostólica Amoris laetitia, e sobretudo de sua suculenta nota 329, onde a castidade entre os divorciados recasados e requentados é vivamente repreendida e desaconselhada, este servidor ficou com uma dúvida: com o amplo e risonho consenso entre Dom Fellay e Jorge Bergoglio, hoje, nas capelas da Fraternidade, a comunhão dada aos divorciados requentados - e a todos os que estão em pecado mortal público - é só válida ou é também lícita? Uma dúvida que não quer calar.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Amoris laetitia: antipapa corrige Jesus Cristo e libera comunhão aos divorciados recasados


Consummatum est.
O antipapa curva-se ao diktat dos dirigentes de nossa Sodoma ocidental e compromete irremediavelmente a integridade da Fé católica.
Se Jorge Bergoglio é realmente papa, todos os anteriores não o eram.
Kyrie eleison, Christe eleison, Kyrie eleison.


quarta-feira, 6 de abril de 2016

O bergo-lefebvrismo e o fim da FSSPX

Em algum aposento do hotel Santa Marta, no Vaticano, sexta passada, consumou-se a geração do mais espantoso híbrido teológico de que tem notícia a Criação: o bergo-lefebvrismo.
Com esse acontecimento teratogênico e teratológico, chega a um fim melancólico a Fraternidade Sacerdotal São Pio X, de tão gloriosas origens.

Agora, o único fio que ainda prende a Igreja Romana ao corpo vivo da Tradição é Bento XVI.

Que Deus o proteja e tenha piedade de nós.