Pesquisar este blog

sábado, 2 de janeiro de 2016

O Cardeal Müller comenta as heresias bergoglianas


Em entrevista a Die Zeit (tradução francesa aqui e comentário de Socci aqui), o cardeal Müller respondeu à seguinte pergunta do jornalista:

O que dizer dos católicos que atacam o papa, chamando-o de herege?

Eis a resposta:

Não só por dever de ofício, mas também por convicção pessoal, tenho de contestar. Na definição teológica, é herege o católico que nega teimosamente uma verdade revelada e apresentada pela Igreja [also known as dogma]. Algo totalmente diferente acontece quando um ensinamento de fé oficialmente apresentado é talvez exprimido de maneira infeliz, enganosa ou vaga (!!). O magistério do papa e dos bispos não é superior à palavra de Deus, mas a serve. A constituição dogmática sobre a revelação divina do Concílio Vaticano II também sanciona isto.

Como nota Antonio Socci, Müller foi até o limite do possível. Um milímetro a mais e já estaria admitindo o que todos sabem: que Bergoglio é de fato herege polimorfo. Mas aí o cardeal alemão teria que pôr sobre os ombros a Cruz da inimizade dos poderosos deste mundo, que adotaram Jorge Bergoglio em troca do mais absoluto servilismo ao diktat wall-streetiano. E isso, ele muito provavelmente não está disposto a fazer.

Vale notar que a resposta do cardeal é, em si, absolutamente ridícula. Ou será que ele nos quer fazer crer que um cardeal jesuíta não sabe que  negar as penas eternas dos pecadores impenitentes e afirmar que a alma morre junto com o corpo é heresia das mais brabas! E quando contestado das mais diversas formas sobre o que declarou, o antipapa permaneceu calado. Ora, quem cala, consente, e esse silêncio transforma o que podia ser uma heresia meramente material em heresia formal. É a isso que se refere a definição de herege citada pelo cardeal, quando fala em teimosamente.

Mas não! Tudo isso é só um engano, uma expressão infeliz ou vaga!

Vá plantar batata, Cardeal. Kartoffel, no caso.

O que fica bem claro com a resposta de Müller é que o antipontificado do rotariano argentino está por um fio: a única coisa que o mantém ainda de pé é a covardia dos purpurados, que fazem todo tipo de contorcionismo e malabarismo para fingirem que não veem que o rei está nu. Mas isso vai durar até quando?

2 comentários:

  1. O grande problema em nossos dias é que, apesar de muitos pastores dizerem coisas certas, não podemos confiar completamente em ninguém em matérias de fé.

    http://blog.sanpablo.es/wp-content/uploads/2013/11/Caminos-52-DEL-LADO-DE-LOS-POBRES-blog.jpg

    Um bom ano para si Luís e para os seus.

    Basto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Gutierrez é um herege ultrapelagiano que baseia sua teologia na inocência dos pobres. De pecado original, nem sinal. Um feliz 2016 para você e sua família.

      Excluir