Pesquisar este blog

sexta-feira, 10 de julho de 2015

As razões do óbvio: Bergoglio não é papa



Percorrendo os blogs católicos tradicionais, o panorama que se apresenta é desolador.
Diante das heresias, das peruquinhas, da boçalidade e das foices-e-martelos do atual pontificado, a reação dos mais sólidos e experimentados fiéis é de vertigem, desespero, desorientação.
Seria cômico, se não fosse tão trágico.
Pois esses católicos se recusam a ver o óbvio ululante: Bergoglio não é papa!
Quando se tem isso em mente, o que parece ser o fim dos tempos logo se transforma numa paisagem, senão agradável, pelo menos bem mais iluminada e racional.
Em vez de um papa herege, sem Fé, inimigo da Igreja e de seus ensinamentos, único em toda a história da Igreja, temos a figura muito mais prosaica e banal de mais um antipapa, entre muitos outros.
Em vez de considerar que Nosso Senhor Jesus Cristo teria mentido ao fazer sua solene promessa a Pedro e seus sucessores, constatar que estamos diante apenas de mais um picareta que consegue enganar por algum tempo boa parte da Igreja.
E sobram as razões para afirmar a nulidade da eleição do energúmeno peronista.
Diz o Direito Canônico claramente que a renúncia de um papa só é legítima quando feita livremente, sem pressões. Ora, é ridículo dizer que Bento XVI não sofria pressões no momento da pseudo-renúncia, com Vatileaks, escândalos diários na mídia, lobby gay, ameaças de cisma etc. O mesmo Papa Ratzinger afirmou em entrevista publicada em livro um ano antes da renúncia que não poderia renunciar justamente por isso, porque a renúncia teria de ser livre, o que não era o caso no ambiente em que se achava!
Como se não bastasse, a Providência divina tornou a invalidade da eleição de Bergoglio ainda mais clara, com as irregularidades de procedimento na votação que levou à falsa eleição pontifical. Para prová-lo, aí está o livro de Antonio Socci, que até hoje não recebeu nenhuma resposta  digna de crédito.
Ou seja, esses católicos desesperados preferem torturar-se, pôr sua fé em risco só por teimosia e ignorância. Preferem ver abalar-se os fundamentos da Igreja para defender uma eleição claramente irregular e indefensável. Preferem aceitar a monstruosidade teológica de um papa herege formal, que publica nos grandes jornais sua falta de fé e suas enormes heresias,  a enxergar o evidente:

BERGOGLIO NÃO É PAPA ! NÃO PASSA DE MAIS UM ANTIPAPA NA HISTÓRIA DA IGREJA.

Basta ter isso em mente, que tudo volta aos eixos. Jesus Cristo não mente, papas não atacam ordens religiosas de fé exemplar, não proclamam heresias pelos jornais, não homenageiam serial killers de bebês em escala industrial que fariam Herodes parecer um reles batedor de carteiras, não pedem aos muçulmanos que continuem a ser muçulmanos e negadores da divindade de Cristo etc. etc., assim como não são possíveis dois papas ao mesmo tempo no Vaticano etc. etc.

Ou seja, a Fé católica continua possível e resplandecente como sempre.

Alguns alegam que o católico deve assumir uma atitude "prudencial" de obediência ao antipapa até que a autoridade eclesial se pronuncie sobre o caso. Pergunto: a mesma atitude prudencial que exigiria a ativa colaboração no assassinato do Verbo sobre a Cruz porque ordenado pelo Sinédrio?
E, sinceramente, se formos esperar que os altos prelados do bergoglismo encontrem tempo para examinar a nulidade do pontificado em meio aos ensaios coreográficos para suas dancinhas coletivas e aos cansativos cuidados exigidos pelas suas coleções de elegantes peruquinhas, será melhor puxar uma cadeira e esperar sentados. Basta ver o caso da declaração urbi et orbi de que os pecadores impenitentes não vão para o inferno, mas têm suas almas imortais aniquiladas, heresia mais clara do que o sol. Já se passaram 4 meses desde que foi publicada num dos maiores jornais da Europa e reproduzida milhões de vezes na blogosfera, e ela continua sem desmentido e sem explicação da parte de Berggy e seus Berggyboys vaticanos, o que a transforma numa heresia formal.

Está mais do que na hora de fechar esse parêntese grotesco na bimilenar história do Corpo de Cristo, esse intermezzo circense regado a tango, peruquinhas e Elvis, e voltar à Fé da Igreja na vida dos Sacramentos.

Fora Bergoglio!

2 comentários:

  1. É caro Luis, a cada dia que passa fica mais claro. O que aumenta mais ainda a confusão é que os cardeiais que deveriam ser os guardiões da fé se calam, ninguem diz nada, fica tudo por isso mesmo.
    Só nos resta seguir o ensinamento de São Paulo: guardar a Fé.

    Emanoel

    ResponderExcluir
  2. No site espanhol www.legioncatolica.blogspot.com.es

    vocês podem ver....BERGGIE ...FUMANDO...isso
    mesmo....fumando...com um baita cigarro no "bico"
    cigarro este....de que "ervinha"..? Não sei!!!!
    E..EVO MORALES em sua frente...se acabando de
    rir....admirado de ver um.."que se acha"...Papa..fu
    mando...como se estivesse num...bar!!!
    CHOCANTE!!! FIM DOS TEMPOS!!
    MARANATHA!!!!!!!!....

    ResponderExcluir