Pesquisar este blog

domingo, 28 de junho de 2015

A primeira comunhão de Marilena Chauí



Parece que Marilena Chauí se converteu ao elvis-bergoglismo e andou não só comungando, mas servindo-se a si mesma na mesa do bandejão eucarístico pós-pós-conciliar de Itaquera (aqui).

No vídeo acima, a spinoziana neocomungante explica, em angelical estado de graça, a concepção bilderbergogliana da essência da religião que a fez converter-se:

"A religião ataca com aquilo que é próprio da religião: o ódio ao outro."

Deixando de lado o habitual analfabetismo teológico, próprio da filosofia uspiana, demonstrado nas palavras da professora, é preciso convir que, para um discurso de primeira comunhão, elas pelo menos são originais.

Chauí começa falando da cura gay, salta para o moralismo burguês, passa para a racionalidade científica, pula para a "pura transcendência" de Deus (e a Encarnação do Logos, esse pequeno detalhe do Cristianismo? o gato comeu?), dá uma cambalhota para definir, à la M. Homais, o religioso pelo ódio, volta tropeçando para uma ciência intimidada, para acabar mui beatamente comungando no self-service itaquerano.

Haja coerência.

Mas, pensando bem, para comunhão sacrílega, comungante blasfema. Tá certo eles.



sexta-feira, 26 de junho de 2015

Parce nobis, Jesu!

Berggy explica aos recém casados a indissolubilidade do matrimônio

A lamentável moda começou com João Paulo II, teve uma pausa com Bento XVI, para chegar com o antipapa à sua apoteose.
É Berggy ajoelhando-se diante de pastor pentecostal (mas não, é claro, de Nosso Salvador na Hóstia Consagrada), inclinando-se diante de hereges e pedindo a bênção a eles, pedindo desculpas a todos os inimigos de Cristo pela existência de sua odiada Igreja Católica. Palhaçada geral.
E já que de pedir desculpas se trata, acho que chegou a hora de pedir realmente desculpas.
Pedir desculpas ao mundo pelo ridículo espetáculo desse antipapa blasfemo, despreparado, ignorante e herege, infinitamente arrogante na sua pretensão de corrigir o Espírito Santo e a Fé da Igreja, pela ânsia de ganhar o prêmio Nobel da Paz concedido pelos arquipodres protestantes escandinavos.
Pedir desculpas pelos nossos pornográficos cardeais de peruquinha, que desonram a púrpura que vestem, assistem passivamente à devastação elvis-bergogliana da Igreja sem dizer palavra, quando não aplaudem as  heresias e os gestos blasfemos daquele que irresponsavelmente teriam eleito, se a eleição pudesse ter sido válida, o que graças a Deus não é o caso.
E principalmente pedir perdão a Deus por nossos pecados e por nossa miséria espiritual, refletida fielmente no espelho que é a igreja bilderbergogliana, com suas peruquinhas, heresias e coreografias efeminadas e grotescas.

Jesu, Pater futuri saeculi, miserere nobis!


quinta-feira, 25 de junho de 2015

Joseph de Maistre e o (anti)papa herege


Já duzentos anos atrás o velho Joseph de Maistre respondia àqueles que acreditavam na possibilidade de um Bergoglio papa, ou seja, de um papa herege e inimigo furioso da Igreja e da Fé de Cristo:

Mas, dirão alguns, talvez, segundo os contendores modernos, se o Papa se tornar herege, furioso, destruidor dos direitos da Igreja etc., qual será o remédio?
Respondo (...) que os homens que se divertem em fazer hoje esse tipo de suposição, embora durante mil oitocentos e dezessete anos elas jamais se tenham realizado, são muito ridículos ou muito culpados.
(Du Pape, ed. Vitte. p. 22)

Sábias palavras. Só que o caso hoje é ainda pior, pois vemos que Berggy faz tudo isso sob os aplausos dos cardeais e de suas peruquinhas. Não é só ridículo chamar Jorge Bergogluio de vigário de Cristo na terra: é pura blasfêmia.

terça-feira, 23 de junho de 2015

O pedido de perdão final do antipapa


Nosso querido antipapa visitou estes dias oficialmente a sede da igreja valdense, denominação protestante italiana (aqui). Lá, Berggy seguiu o protocolo de sempre, na sua anticruzada para destruição da Igreja. Beijou uma bíblia protestante mutilada e adulterada, e, de quebra, pediu perdão pelas malvadezas que a cruel e criptolefebvriana Igreja Católica perpetrou contra os abertos, misericordiosos e existencialmente periféricos protestantes ao longo dos séculos.

Nada de novo sob o sol, apenas o eterno retorno do mesmo ritual de ódio à Igreja de Cristo a que já estamos acostumados. Só mais uma bofetada no rosto de Nosso Salvador, na pessoa de todos os mártires católicos que morreram em defesa da Fé contra a heresia. O feijão com arroz bergogliano.

Quanto ao enésimo pedido de perdão aos inimigos da Fé de Cristo, este blog vê por ele delinear-se a cena final para que apontam todos os gestos do antipapa e de sua igreja elvis-bergogliana:

Os anticardeais reunidos em São Pedro, todos eles usando peruquinhas estilo Braz de Elvis, inclusive o antipapa.
Sentado na cátedra de Pedro, o Baixíssimo, em todo seu Fedor.
Berggy se ergue, caminha até ele, se ajoelha e pede perdão pelo combate que a Igreja de Cristo travou contra os poderes das trevas.

Eis para onde leva o bergoglismo.

Mas não vão conseguir, por mais que se esforcem. Non praevalebunt.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Marthe Robin e o sofrimento



Aprendemos a amar e só amamos de verdade no sofrimento e pelo sofrimento, pois o verdadeiro sofrimento se constrói, não nas delícias humanas da vida presente, mas no despojamento e na renúncia de si e sobre a cruz.
É fácil blasfemar a provação e proclamar os direitos do homem à felicidade. Longe de procurar compreender esse grande e divino mistério do sofrimento, a maioria dos homens desvia o rosto da dor, como se ela nada tivesse a nos ensinar de nobre, de justo e de válido. Mas a alma que uma vez se perguntou: "Por que um Deus sofredor?" sente, em oposição a tudo o que o raciocínio pensa diante do misterioso drama do sofrimento, que ele é sem dúvida seu melhor amigo e lhe traz as maiores riquezas que ela possa desejar.
Dizia Jesus das parábolas que elas eram feitas para iluminar os que querem aprofundá-las e cegar os que olham sem ver e ouvem sem compreender.O mesmo acontece com a dor. Ela escandaliza e revolta os que se fecham em si mesmos e santifica aqueles que se empenham em olhar para Jesus, em ter fé em Jesus, em amar Jesus, em tomar sua própria cruz com a cruz de Jesus e em caminhar atrás dele, com humildade e amor.
É a loucura da cruz, que consiste em extrair da morte a imortalidade, a glória da humilhação, a alma do nada, porque não cessa de nos gritar a vacuidade do que passa.
Ele aceitou voluntariamente o sofrimento e a cruz e a propõe a todos os seus irmãos neste mundo como meio único de santificação e de salvação.: "Se alguém quiser vir atrás de mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e me siga."

(Marthe Robin, cit em Le Voyage immobile, pp. 62/63)

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Poluição teológica: sai a encíclica-lixo do antipapa


Nosso querido antipapa Francisco, o Deprimente, acaba de lançar a sua encíclica sobre o aquecimento global e a poluição.
Escrita a múltiplas mãos, com a ajuda de vários expoentes da Grande Avacalhação pós-concliar, como o Doctor Beijocarius, o herege polimorfo Leonardo Boff e o grande entusiasta do aborto em escala industrial Jeffrey Sachs, o texto antipapal pode ser descrito como uma síntese de toda a baboseira politicamente correta vomitada diariamente por Wall Street e Hollywood sobre a população de nosso pobre planetinha via  mainstream media. Bilderbergoglismo em estado cristalino: o interventor mundialista e homofílico no Vaticano diz o que seus coleguinhas donos-do-mundo mandam. E estamos conversados. Católicos: fora, rua!

Nada de novo sob o sol, portanto.

Mas não há como negar que o que poderia dar no máximo uma sofrível plataforma eleitoral para candidato a vereador pelo PV, quando apresentado como Encíclica papal, seja vergonhoso e deprimente. Como, aliás, tudo o que Berggy faz. Parece sina.

A quem podem interessar os palpites de um ex-leão-de-chácara argentino, tão analfabeto de pai e mãe em qualquer disciplina científica que é incapaz de balbuciar duas frases em inglês, sobre preservação de lagartixas, métodos de plantação de legumes ou outras questões técnicas de agricultura e biologia?

O que isso tem a ver com a confirmação da Fé??

A coisa chega a tal ponto de confusão, que, a determinada altura, o antipapa se pergunte por que falar de temas de Fé numa... encíclica papal:

Por que motivo incluir, neste documento dirigido a todas as pessoas de boa vontade, um capítulo referido às convicções de fé? (62)

Parece piada.

Que outro motivação pode ter uma encíclica como essa, resumo quintessenciado de todo o politicamente correto, a não ser legitimar com o selo apostólico o diktat das grandes potências ocultas que governam o planeta e apoiam ostensivamente o antipapa, depois de terem forçado a abdicação de Bento XVI?

E o pior é que, ao tratar de poluição, a encíclica se esquece de falar da pior espécie delas, a poluição doutrinal e teológica, que envenena não apenas o ambiente físico, mas principalmente a Fé. Só as primeiras páginas dessa encíclica-lixo já são suficientes para emporcalharem gerações de cristãos - se fosse uma autêntica encíclica, o que, obviamente, não é: antipapas não podem escrever encíclicas. Laudato si mi Signore por tornar isso cada vez mais claro!

A que ponto chegamos! Não há mais nenhum cardeal com vergonha na cara para pôr um ponto final nessa farsa? Parece que não.

domingo, 14 de junho de 2015

Berggy vai condenar Medjugorje?



Com base em algumas boutades de Berggy numa homilia recente em Santa Marta, tem-se falado muito numa condenação iminente das falsas aparições de Medjugorje por parte do antipapa. Posso até queimar a língua, mas duvido.
Berggy está acima de tudo preocupado com ibope, e a última coisa que passa pela sua cabeça é fazer um ato impopular, como a condenação de Medjugorje.
E por que o faria? Como prova o vídeo acima, nada mais elvis-bergogliano que Medjugorje.
E mesmo que Berggy não acredite naquelas aparições obviamente falsas, principalmente agora que deve ter em mãos o dossiê preparado pela Congregação pela Doutrina da Fé, sabemos que o antipapa não está nem aí com esse tipo de coisa. Falso ou não falso, muçulmano, cabalista, pentecostal, luterano, TL, Medjugorje, abortista, sodomita, para ele é tudo a mesma coisa e tudo está valendo.
Só não pode ser católico, e isso todos sabem que Medjugorje não é.
Por que condená-la, então?
Provavelmente vai primeiro fingir combater certos "excessos", para depois liberar geral, entregando, além disso, o lucrativo santuário aos animistas carismáticos.
E segue o enterro.

A venerável Marthe Robin e a Cruz


A pedido da mãe, seu pai fabricara uma cruz simples de madeira e a pregara à porta da casa. Ao terminar o trabalho, disse à pequena Marthe, de menos de dez anos:
- Não tem ninguém sobre essa cruz!
A que sua filha respondeu:
- Ah, então, a gente vai ficar nela.

(cf. Jean-Jacques Antier, Marthe Robin, le Voyage immobile, 1991, p. 20)

Pois:

"A Cruz é também contemplação."
(A.M. Carré, citado em id., p.41)

A venerável Marthe Robin (1902-1981), mística francesa, revivia todas as sextas-feiras a Paixão de Cristo e passou mais de 50 anos alimentando-se exclusivamente da hóstia consagrada.
Note-se que o seu calvário voluntário conseguiu resistir a 16 anos de fúria avacalhadora pós-conciliar, mesmo no olho do furacão, a pobre França. Teria resistido a Jorge Bergoglio e Dom Braz de Elvis?

sábado, 13 de junho de 2015

O antipapa, o inglês e a probidade intelectual



Ao assistir de novo ao vídeo acima, impressionante, em que nosso querido antipapa afirma com todas as letras que não liga a mínima para o dogma (dogma, porém, que para chegar até nós custou a crucificação do Logos divino), depois de desfilar seu total analfabetismo no que se refere à língua inglesa, fico pensando: como é que alguém com um inglês medonho desses, pior do que o de qualquer aluno de segundo mês de qualquer Fisk ou Yazigi da vida, pode ousar escrever uma encíclica sobre um tema como o aquecimento global, assunto cuja enorme bibliografia está, em mais de 90%, disponível só em inglês? E que honestidade intelectual pode ter a pessoa que ousa fazer isso? Que ideia pode ter, não só desse assunto, mas da produção científica em geral?
É vergonhoso. Mais uma vez vergonhoso, como sempre acontece com tudo o que Berggy toca.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

O elvis-bergoglismo cresce: padre Elvis arrebenta no Butantã



Depois do nosso elegante Dom Braz de Elvis, dono talvez da mais estonteante coleção de peruquinhas do Vaticano inteiro, e do rocambolesco Don Elvis Petrescu, de que já falamos longamente aqui, chegou a vez do padre Elvis, inefável presbítero do Butantã, talvez o mais acachapante luminar do movimento "Elvis não morreu" dentro da igreja do antipapa peronista em São Paulo.

Note-se que, seguindo as pegadas (e as perucas) do nosso elegante e invejado Dom Braz de Elvis, padre Elvis passa boa parte da entrevista falando de seus cabelos, que, como ele faz questão de frisar, são naturais. Quem conhece os meandros da espiritualidade elvis-bergogliana sabe que isso quer dizer que padre Elvis reivindica a liderança da ala não-peruquiana do movimento, enquanto a liderança inconteste da ala peruquiana, mais clássica e ortodoxa, fica reservada, sem contestação possível, ao nosso heliogabálico Dom Braz de Elvis.

Existe também uma terceira corrente, a antiperuquiana, mas sobre ela preferimos calar. É composta por invejosos, gente incapaz de reconhecer com humildade a enorme riqueza espiritual das peruquinhas de nosso elegante Dom Braz de Elvis. A eles nosso repúdio e nosso alerta: inveja mata!

Mas nada pode mais deter o ímpeto do elvis-bergoglismo entre nós!

Elvis não morreu!

terça-feira, 9 de junho de 2015

Destruição de 10 mil igrejas católicas na França



Na França, cinquenta anos de violência bergogliana contra a Fé não são visíveis apenas aos olhos do espírito.

Dez mil igrejas abandonadas na França correm o risco de demolição por parte do poder maçônico, que não tem nenhum interesse em proteger o tesouro artístico e arquitetônico deixado pelo trabalho de gerações e gerações de franceses iluminados pela Fé. Ante o silêncio cúmplice do antipapa e da peruquinha de seus comparsas.



segunda-feira, 8 de junho de 2015

Meia-volta no Vaticano: Kasper nega que tenha o apoio do antipapa



Em entrevista que será transmitida no próximos dias (aqui), o herege polimorfo alemão Walter Kasper, teólogo predileto do antipapa, voltou atrás e negou na maior cara de pau que sua proposta de liberar a comunhão para divorciados e gays tenha o apoio de Berggy.

Sinal evidente de que o antipapa mudou de estratégia e vai evitar um confronto que o levaria a uma derrota certa no próximo Sinédrio por ele convocado para avacalhar o pouco que ainda resta da família cristã.

Para que a pressa?

Berggy tem a faca e o queijo na mão, o apoio da mídia, do lobby gay, da ONU e da grande finança internacional, não precisa correr riscos desnecessários.

Vamos ter o de sempre ao final do Sinédrio, um documento insípido, morno e ambíguo em que se reafirmará  da boca para fora a disciplina tradicional, MAS insistindo na inclusão de divorciados e gays na vida da igreja bergogliana. Enquanto isso, o antipapa seguirá a todo vapor nomeando hereges para os principais cargos da Igreja (aqui) e avacalhando a Fé da Igreja em entrevistas e filminhos promocionais.

E, ao final, a única real novidade no Sinédrio promete ser a nova peruquinha de Dom Braz de Elvis, que, segundo confidenciam os poucos privilegiados que já tiveram a honra de contemplá-la, promete arrasar com a concorrência e fazer morrer de inveja seus rivais dentro e fora do Vaticano.

Sem falar, é claro, na dancinha final, como no Rio. Nada mais se pode esperar da igreja bergogliana.

Morreu o interventor bergogliano contra os Franciscanos da Imaculada

Morreu o padre Fidenzio Volpi, interventor nomeado pelo antipapa, via Dom Braz de Elvis (cuja elegante coleção de peruquinhas tanta inveja tem causado), para destruir a mais pujante ordem religiosa católica da atualidade, os Franciscanos da Imaculada. Missão cumprida pelo padre Volpi com crueldade e maestria (aqui e aqui).

Os mesmos Franciscanos da Imaculada rezam hoje por sua pobre alma.

domingo, 7 de junho de 2015

Corpus Christi: a diferença entre um papa e um antipapa



Um papa ajoelha-se diante do Santíssimo; um antipapa, não.

PS: Dadas as insinuações de que o vídeo teria sido editado para suprimir cenas em que o antipapa se teria ajoelhado, estou inserindo abaixo um vídeo oficial do Vaticano que cobre a totalidade da cerimônia e demonstra cabalmente que em nenhum momento houve genuflexão.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Bach e a missa bergogliana



Diante do escândalo representado pela missa bergogliana, com comunhão na mão, parabéns a você, tango e bingo, alguns se apressam em acusar os protestantes pelo desastre.
Não é bem assim, como mostra o vídeo acima.
O fato é que o bergoglismo - cuja única façanha artística e espiritual é a coleção de peruquinhas de nosso elegante Dom Braz de Elvis - está espiritualmente anos luz abaixo mesmo do luteranismo antigo.
Conste.
Só desatamos os nós que vemos.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Bergoglio faz piada com a crucificação de Cristo e dá risada


No livro El Jesuita - Conversaciones con el Cardinal Bergoglio, SJ, publicado em Buenos Aires em 2010 com entrevistas do futuro antipapa a dois jornalistas argentinos, o leitor satanista poderá deleitar-se com a seguinte piada contada por Berggy à página 42:

[A piada] é sobre um menino judeu que era expulso de todas as escolas por indisciplina, até que outro judeu recomenda ao pai do menino matriculá-lo num bom colégio de padres. E o encoraja, dizendo que ali com certeza o vão endireitar. O pai aceita o conselho. Passa-se o primeiro mês e o menino se comporta muito bem, sem nenhuma admoestação. Nos meses seguintes também não apresenta problemas de comportamento. O pai, vencido pela curiosidade, vai procurar o reitor do colégio para saber como o tinha posto nos trilhos. "Muito simples," responde o sacerdote. "No primeiro dia, puxei-o pela orelha e lhe disse, apontando o crucifixo: 'Esse era judeu que nem você. Se se comportar mal, vai acontecer o mesmo com você.'"

Risos.

Um scam do texto acompanhado de um comentário pode ser encontrado aqui.

O texto foi omitido na tradução inglesa.

Que espécie de cristão pode divertir-se com piadas sobre a crucificação de Cristo?

Antipapa admite abertamente a heresia



Para os que não querem ver o óbvio ululante, desta vez Berggy pôs preto no branco e admitiu que o que diz pode ser herético e que não está nem aí.

No vídeo acima, em 4:13:

E me vêm à mente dizer algo que pode ser uma insensatez, talvez uma heresia, não sei.

E se segue uma bobajada melodramática sobre a unidade sentimental de evangélicos, ortodoxos e católicos. Sem fé, sem doutrina e sem razão. Insensata, portanto sem Logos, sem Cristo.

Ou seja, aquele que foi escolhido por Cristo para confirmar na Fé os irmãos admite publicamente que não está nem aí com a Fé.

Isso, é claro, se fosse realmente papa, o que sabemos que não é. E o sabemos com clareza cada vez maior!

Se Bergoglio está certo, o sangue dos mártires foi em vão e a história da Igreja foram dois mil anos de sacrílegas ofensas a Deus!

Escolham!