Pesquisar este blog

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Novas táticas na destruição dos Franciscanos da Imaculada



A clique que comanda a destruição dos Franciscanos da Imaculada, na impossibilidade de encontrar um motivo católico para seu ódio ao que era a mais florescente ordem religiosa da Igreja antes da  intervenção bergogliana, agora mudou de tática.

Em primeiro lugar, passaram a se valer de ameaças judiciárias para intimidar os que defendem o carisma original da ordem. Algo inaudito nos anais da Igreja, mas de prática rotineira na vida de certos lobbies que têm mais dinheiro em conta corrente para contratar grandes escritórios de advocacia do que argumentos no cérebro.

Em segundo lugar, querem desviar o foco da discussão do terreno propriamente espiritual para o terreno financeiro. Alegam que as associações de leigos que geriam os bens doados aos franciscanos eram ricas.

Se é realmente o caso de fechar ordens religiosas por causa do dinheiro que têm, seria interessante saber por que a bergogliana Companhia de Jesus continua funcionando.

Mas o fato é que esse dinheiro não era dos Franciscanos da Imaculada, mas de associações leigas a ela vinculadas.

O dinheiro doado aos franciscanos era administrado por essas associações leigas, justamente para permitir que os religiosos desenvolvessem seu apostolado sem ter de se dedicar aos problemas administrativos e financeiros que tal gestão deve inevitavelmente enfrentar.

No fundo, tudo isso é fruto do desespero dos que, em seu ódio furioso contra a Igreja, procuram desqualificar os que lutam por preservar  o que ainda resta de santo em nossos tenebrosos tempos.

Cenas como as do vídeo acima, onde se vê o padre Manelli, fundador da Ordem e hoje em prisão domiciliar, no momento da Consagração, são absolutamente intoleráveis para os adeptos da misericordiosa espiritualidade e liturgia do Parabéns a Você e do Bingo. Intoleráveis!

Nenhum comentário:

Postar um comentário