Pesquisar este blog

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

1984... Bons tempos aqueles!

Depois do 11 de setembro em menor escala de Charlie Hebdo, o governo mundial reúne-se em Paris com pompa e circunstância para celebrar o direito à blasfêmia, cláusula pétrea da Declaração universal dos direitos diabólicos. Pois a blasfêmia não é um direito do homem, mas do diabo, obviamente. Ele que é mais do que nunca o príncipe deste mundo.

O órgão oficial do governo mundialista é um jornaleco humorístico podre e corrupto.
Não é à toa: a humanidade caminha a passos largos para se transformar numa piada de mau gosto.

1984 já vai longe... Bons tempos!

2 comentários:

  1. Olá Luís. Deus e Nossa Senhora te abençoe. Concordo com você sobre a blasfêmia. Esse direito a liberdade absoluta é uma blasfêmia. Só Deus é livre absolutamente porque é eterno. Nós seres humanos somos limitados em razão de nossa natureza pecadora. Nunca poderemos dizer tudo o que queremos nem faremos tudo o que quisermos. Gostaria que a humanidade entendesse isso. Boa tarde a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, José Antônio. Que Deus tenha piedade de todos nós.

      Excluir