Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Apoio a Levy Fidelix



O dr. Levy Fidelix já foi alvo de brincadeiras neste blog. Mas desta vez é sério.

Ao afirmar que o aparelho excretor não reproduz, o dr. Levy pronunciou uma verdade clara e distinta, certamente já velha conhecida do homem de Neanderthal, mas que nem Jorge Bergoglio, nem Obama, nem Lula, nem Aécio, nem o secretário geral da ONU têm a coragem de defender contra a grande finança internacional e seus cupinchas políticos e mediáticos que promovem a teoria do gênero.

Chapeau, dr. Levy. Merece o nosso voto.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Bergoglio e as heresias


O problema dos desavisados que ainda procuram heresias nas palavras de Bergoglio é que todo o seu pensamento teológico se resume numa única frase: "quello è bello; quello non è bello." O que, convenhamos, não dá a nossos escrupulosos guardiães da ortodoxia muito espaço para manobra.

Bergoglio, Braz de Elvis e suas elegantes perucas, Maradiaga e que tais pouco se importam com os dogmas católicos, não estão nem aí com virgindade perpétua, imaculada conceição ou presença real, coisas a que jamais se referem. Estão interessados mesmo é em marketing e aparecer bem na foto.

Eis a igreja bilderbergogliana.


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Sai na Itália livro que demonstra a invalidez da eleição de Jorge Bergoglio

Antonio Socci

Está para sair na Itália o primeiro livro que trata de maneira sistemática a tese que vem sendo defendida neste blog, qual seja, da nulidade da renúncia de Bento XVI e da consequente invalidez da eleição de Jorge Bergoglio.

O autor é o vaticanista italiano Antonio Socci. Típico católico conservador, Socci sempre esteve ligado ao movimento Comunhão e Libertação; também são conhecidas suas simpatias pelas aparições de Medjugorje - motivo por si só mais do que suficiente para situá-lo nos antípodas de qualquer espécie de tradicionalismo possível e imaginável.

O livro, com o título de Non è Francesco, tem a publicação marcada para os próximos dias, e promete causar furor nas fileiras da igreja bilderbergogliana. Ver aqui.

No que já vazou do conteúdo do livro, aparece um curioso argumento de ordem canônica contra a validade da eleição de Bergoglio. No segundo dia do Conclave, terminada a quarta votação do dia, constatou-se na contagem dos sufrágios que havia nas urnas uma cédula a mais do que o número de eleitores. A votação foi anulada e se passou de imediato a uma nova, a quinta do dia, na qual Bergoglio foi o vencedor.

O problema é que pela constituição apostólica Universi Dominici Gregis, de João Paulo II, que regula a eleição dos papas, está claramente determinado que não pode haver mais de quatro votações por dia:

nos dias sucessivos, se a eleição não se fizer no primeiro escrutínio, deverá haver duas votações, tanto da parte da manhã como da tarde, dando sempre início às operações de voto na hora já anteriormente estabelecida nas Congregações preparatórias ou durante o período da eleição, mas segundo as modalidades estabelecidas nos nnº 64 e seguintes da presente Constituição.

Ora, no artigo 76 da mesma constituição fica determinada a nulidade da eleição se alguma de suas disposições não for respeitada:

76. No caso de a eleição ser feita de uma forma diversa daquela prescrita na presente Constituição ou sem terem sido observadas as condições aqui estabelecidas, tal eleição é por isso mesmo nula e inválida, sem necessidade de qualquer declaração, e, portanto, não confere direito algum à pessoa eleita.

Ergo... habemus Papam: Benedictum XVI!

QED.

NB: A votação é a ação de votar, seja qual for a validade do voto. Na quarta votação, os cardeais votaram, embora o voto fosse depois anulado, mas não a ação de votar. Se o legislador quisesse referir-se apenas às votações válidas, deveria deixar explícita essa condição adicional.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Perucas de cardeal provocam risadas no Vaticano

Dom João Braz de Aviz

O ser humano não tem jeito. Bastou o nosso elegantérrimo cardeal estrear a sua nova e chiquérrima coleção de perucas, e a inveja já começa a tomar conta da oposição. Ver aqui o comentário do vaticanista Antonio Margheriti Mastino.

Gente do céu! Inveja mata, meninas!

Mas o que ninguém pode negar é que as novas perucas do cardeal, com seus tons de mogno e acaju, despojadas e sutilmente wild, dão o look perfeito para o prelado elegante no Vaticano de Jorge Bergoglio.


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Lembrete aos conservadores de vário naipe

A principal lição do atual cenário político internacional é que a relação direita-esquerda, como toda relação, é relativa.

domingo, 21 de setembro de 2014

Cardeal de confiança de Bergoglio acusado de acobertar pedofilia


Fracassa acordo de conciliação entre as vítimas de um padre pedófilo chileno e a arquidiocese de Santiago.

O motivo da discórdia envolve o cardeal Javier Errázuriz Ossa, que teria sido informado dos crimes em 2006 (ou mesmo 2003), mas só comunicou ao Vaticano as acusações em 2010.

Inicialmente, o cardeal deu uma de Lula e disse que não era verdade, mas depois reconheceu o erro e pediu desculpas (Aqui).

As vítimas dos abusos acusam o cardeal de acobertar o padre pervertido.

Note-se que, como prêmio por sua destacada atuação no cardinalato e de acordo com sua tão apregoada política de tolerância zero contra a pedofilia, o antipapa Bergoglio nomeou Dom Ossa para a comissão de cardeais que supervisiona e dirige a reforma da Cúria romana  (aqui), mesmo ciente das acusações contra ele.

Com uma tolerância zero dessas, seria aconselhável que as mães de crianças e adolescentes proíbam os filhos de se aproximar do Vaticano.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Sodoma avança: casal gay adota quatro crianças no Rio


Na surdina, e aproveitando-se do total descaso das autoridades, um casal gay adotou no Rio quatro crianças. Ler reportagem aqui.

Peço uma Ave Maria para essas pobres crianças.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Vem aí o novo Evangelho segundo Jorge Bergoglio

Cardeal Braz de Elvis

Como foi noticiado há alguns dias, o nosso querido Bergoglio determinou que a constituição Sponsae Christi, do Papa Pio XII, de gloriosa memória, seja reescrita. A razão evocada é que se trata de um texto pré-conciliar e, portanto, ultrapassado.

A notícia causou frisson entre as fileiras dos Berggyboys vaticanos, e logo se comentava que já está sendo encomendado um substituto misericordioso e mais adaptado às necessidades espirituais da mulher moderna para mais uma velharia neopelagiana e pré-bergogliana: os Evangelhos.

Na nova versão, Jesus não será nem preso, nem torturado, nem crucificado. Pelo contrário. Judas Iscariotes, finalmente compreendido e redimido, articulará uma reunião de confraternização entre Jesus, Caifás, Herodes e Pôncio Pilatos, na qual será marcado um jogo de futebol entre o time de Jerusalém e a seleção da Galileia, para resolver os possíveis mal-entendidos entre as partes. A renda será  revertida para um fundo pela reconstrução de Sodoma e Gomorra, injustamente destruídas num acesso de homofobia do Deus pré-conciliar e preconceituoso. O que é compreensível, já que na época o Onipotente ainda não podia contar com a sabedoria inclusiva do nosso querido Berggy, o que O deixava um tanto perdido. Perdoai-O, Bergoglio, Ele não sabe o que faz!

E, é claro, tudo termina com uma bella pizza! Saluti São Jorge!

Numa escolha feliz e merecida, a redação do novo Evangelho será confiada ao elegantérrimo cardeal Braz de Elvis. Não resta dúvida de que, sob a pluma e os paetês do nosso felliniano purpurado, os personagens da Paixão terão um look muito mais despojado e wild, com predominância de tons metálicos de pink e madeira. Um luxo!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

O que Bento XVI, quando ainda livre, dizia de Jorge Bergoglio e arredores


Um Jesus que esteja de acordo com tudo e com todos,um Jesus sem a sua santa ira, sem a dureza da verdade e do amor, não é o verdadeiro Jesus, tal como o mostra a Escritura, mas uma sua miserável caricatura.

Tradução da legenda da foto acima, que cita o livro "Guardare a Cristo". A ilustração aparece no artigo de hoje do blog Chiesa e postconcilio, da teóloga romana Maria Guarini. Leitura obrigatória para quem queira acompanhar o que está acontecendo na Igreja de hoje, o blog de Mic é seguido com atenção até mesmo na Cúria vaticana.

Dizer que o autor de tais palavras é "a mesma coisa" que Jorge Bergoglio só pode ser piada.


quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Bergoglio nomeia para o sínodo contra a família cardeal que encobriu pedofilia


Jorge Bergoglio convidou pessoalmente estes dias o cardeal belga Danneels a participar do próximo sínodo contra a família por ele mesmo convocado (aqui).

Trata-se de um convite pessoal, pois Danneels não tinha direito à participação.

Para quem não se lembra, o cardeal Danneels esteve envolvido no acobertamento de crimes de pedofilia em seu país, tendo sido interrogado várias vezes pela polícia. Seu arquivo foi confiscado pela justiça belga. Depois de começar dando uma de Lula e dizendo que não sabia de nada, ele mesmo acabou reconhecendo ter encoberto as práticas pedofílicas de seu colega no episcopado, Dom Vangheluwe. Ver, por exemplo, aqui.

Por causa deste crime, houve uma chuva de denúncias pela mídia contra ele na época. Curiosamente, toda essa campanha foi seguida de um silêncio absoluto na mídia após a "eleição" de Bergoglio. 

Como curiosidade, vale lembrar que a diocese de Danneels, bergogliano de carteirinha, é uma das mais decadentes da Bélgica, com vocações religiosas e frequência às missas tendentes a zero.

Deve ser esse o sentido da famosa tolerância zero contra os pedófilos trompeteada por Jorge Bergoglio. Zero pessoa nas missas e zero seminarista.

Mas o convite é compreensível. Um homem como o cardeal Danneels não pode faltar num sínodo cujo objetivo declarado é institucionalizar o divórcio na Igreja, entre outras "surpresas" que certamente nos estão reservadas quanto á contracepção e ao casamento gay.

Bento XVI, Papa gloriosamente reinante

Para evitar confusões: este NÃO é um blog sedevacantista.

A Igreja tem um só Papa, e não dois, como querem os bergoglianos, ou zero, como pretendem os sedevacantistas.

E o Papa se chama Sua Santidade Bento XVI, gloriosamente reinante.

Já após a morte de João Paulo II tinha havido uma tentativa de eleger Jorge Bergoglio para a cátedra de Pedro, tentativa frustrada pelo Espírito Santo, que em seu lugar conferiu ao grande pensador Joseph Ratzinger o múnus petrino.

Inconformada, a cabala do ex-leão-de-chácara portenho voltou à carga e tudo fez para arruinar o pontificado de Bento XVI, valendo-se sobretudo de seus muitos e poderosos contatos na grande mídia internacional.

A tática aparentemente teria dado resultado. Tendo sobre a carótida a faca de uma ameaça muito concreta de cisma, Bento XVI foi forçado a renunciar.

A história terminaria por aqui, se a Igreja fosse um botequim ou um clube de futebol. Mas não é.

E a Providência em sua sabedoria determina expressamente no Código de Direito Canônico que, para ser válida, a renúncia de um Papa deve ser de todo livre, sem pressões ou chantagens de nenhum tipo.

Como são mais do que notórias as pressões exercidas sistematicamente contra Bento XVI, a renúncia não foi livre. Portanto não tem nenhuma validade. Bento XVI continua sendo o Papa, como ele mesmo sutilmente sugere, ao conservar o título, o traje branco, a residência no Vaticano, o brasão e se definindo explicitamente como Papa orante "para sempre". Curiosamente, o próprio jesuíta argentino não se proclama Papa, mas apenas bispo de Roma.

Isso também explica a algazarra doutrinal e espiritual que tomou conta do Vaticano desde a "eleição" de Jorge Bergoglio. Algazarra que distingue com toda clareza o "pontificado" do jesuíta de todos os seus antecessores. A razão é simples: desde Pedro, mesmo os mais medíocres Papas foram protegidos pela solene palavra de Cristo de que sobre eles as portas do Inferno não prevaleceriam, sob a inspiração do Paráclito. Proteção que falta, obviamente, a Jorge Bergoglio e Cia.

E não consta a este blog que Jesus, ao instituir Pedro chefe dos apóstolos e vigário de Cristo na terra, lhe tenha também concedido um plano de aposentadoria por tempo de serviço.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

O que é desenhar



A artista búlgara Graciela Bombalova executa o retrato de uma menina loira a partir de uma foto.A técnica é o pastel.

Isso é desenhar. O resto é bobagem.

sábado, 6 de setembro de 2014

Nova excomunhão contra a FSSPX


Segundo o blog Secretum Meum Mihi, a nova reunião agendada pelo Vaticano entre o cardeal Müller e Dom Fellay teria como objetivo comunicar que a novigreja pretende lançar nova excomunhão contra a FSSPX, último centro ativo de resistência ao bergoglismo dentro da Igreja católica.

Sinceramente, se eu fosse Dom Fellay, agradeceria e ficaria muito lisonjeado.

Ainda não há, porém, motivo para euforia. É possível que o cardeal Müller, seguindo a concepção futebolística do ser de nosso querido Jorge Bergoglio, queira apenas convidar a Fraternidade a uma disputa de pênaltis para resolver as questões dogmáticas pendentes.

Novo altar-privada na catedral de Palermo


Pondo em prática o programa bergogliano de ir ao encontro das necessidades espirituais da mulher moderna, a catedral de Palermo acaba de lançar um novo modelo de altar.

Se na frente ainda se mantém o velho altar neopelagiano, mero pano de fundo para a "mesa do senhor" onde é comemorado o aniversário dos paroquianos, por trás o novo altar serve de privada, para consolo e libertação dos fãs de Jorge Bergoglio.

A ideia é que, com o avanço das reformas bergoglianas,  dentro em pouco a catedral possa girar o altar e colocar a privada, símbolo espiritual do bergoglismo, no lugar de honra que lhe compete na igreja de hoje.

Teologia de joelhos: diante de quem?


Jorge Bergoglio jamais se ajoelha durante a Consagração, embora de vez em quando seja visto de joelhos diante de algum pastor pentecostal.

Também é notório que o jesuíta argentino costuma chamar a teologia de heréticos polimorfos como Walter Kasper de teologia de joelhos.

Resta saber de joelhos diante de quem.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Shimon Peres, Bergoglio e a FIFA das religiões


Shimon Peres propõe a criação de uma ONU das religiões para resolver os conflitos mundiais, sob a presidência de ninguém menos do que nosso querido Jorge Bergoglio (aqui).

Ao que parece, a entidade ocuparia na Nova Ordem Mundial uma posição superior à da ONU, mas estaria subordinada à FIFA. Os conflitos dogmáticos, morais e espirituais seriam resolvidos nos pênaltis. As soluções valeriam por quatro anos, até a realização do torneio seguinte, que decidiria a nova fé mundial para os quatro anos seguintes.

É, aliás, artigo de fé do bergoglismo que se nos tempos de Cristo já se jogasse futebol, o sacrifício da Cruz não teria acontecido. O diferendo entre Caifás e Jesus teria sido resolvido também nos pênaltis.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Arte e dinheiro sagrado


O problema da arte moderna não é apenas o de ser puro comércio, só propaganda, só dinheiro, mas o de ser dinheiro falso.

Pensar que as boas almas do século XIX chegaram a pensar a arte como a herdeira do sagrado!

Bergoglio, Itaipu e os cristãos aguados



Depois de abrir todas as comportas de Itaipu e despejar a água toda na doutrina cristã, eis o que disse Jorge Bergoglio no Angelus deste domingo:

É triste encontrar cristãos aguados, que parecem vinho aguado e não se sabe se são cristãos ou mundanos, como não se sabe se o vinho aguado é vinho ou água. É triste isso. (...) É triste encontrar cristãos que não são mais o sal da terra. Sabemos que quando o sal perde o sabor não serve para nada, seu sal perdeu o sabor porque se entregaram ao espírito do mundo, ou seja, se transformaram em mundanos.

Isso é que é autocrítica!