Pesquisar este blog

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Francisco aconselha aos muçulmanos lerem o Alcorão e conservarem a fé dos antepassados



Em encontro com refugiados africanos, Francisco, o papa mais amado pelos que odeiam a Igreja,  incentiva os muçulmanos ali presentes a lerem o Corão e persistirem na fé dos antepassados. A fala está em italiano, com legendas em inglês, e diz:

 “É importante que vocês façam isso. E também, os que são cristãos, com a Bíblia, e os que são muçulmanos com o Corão, com a fé que vocês receberam dos pais, que sempre ajudará vocês a irem em frente. Compartilhar também a própria fé, pois um só é Deus: o mesmo”.

Mais um tapa na cara do Salvador, na pessoa dos milhares de mártires que, ao longo dos séculos, derramaram seu sangue para pregarem a verdadeira Fé em terras muçulmanas.

Note-se que o Corão foi escrito explicitamente para negar a divindade de Cristo, principal fundamento de nossa Fé cristã.

.A diferença entre um verdadeiro papa e Bergoglio é que o primeiro diria aos católicos para mantermos a Fé de nossos antepassados; o segundo diz o mesmo, mas aos muçulmanos, e isso em frontal oposição à Fé católica de nossos pais.

 Não há mais como tapar o sol com a peneira: um grande cisma é iminente.



2 comentários:

  1. Luís, há duas partes capazes de realizar um cisma? Divide-se aquilo que está em antagonismo, desequilíbrio, tendo ambos os lados força, participação e ação. Vemos isso hoje? Há outra voz grave o bastante para sob ela reunir o povo do Deus? Você, mais informado e esclarecido, talvez saiba; o que eu vejo é a solidão de um grupo desconectado. Alguns Padres, pouquíssimos Bispos - todos muito velhos - e os leigos formam este conjunto? Interessante reflexão a que tu propõe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cisma é uma cisão, o resultado do cindir-se. Basta que uma coisa se parta em duas. Além do rompimento das relações com os lefebvrianos, é bem provável que a totalidade do campo tradicional se afaste de Roma, e, pelo andar da carruagem, boa parte dos conservadores também. Estes próximos tempos serão decisivos, com o sínodo, o grupo dos 8, a canonização de JP2, Medjugorje etc. Não creio que a submissão a Francisco resista a um bombardeio desse calibre.

      Excluir