Pesquisar este blog

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Moda e doutrina católica


Prosseguindo na linha da análise da tese bergogliana do primado da consciência subjetiva na determinação do bem e do mal, iniciada por Scalfari, pode-se notar que tal subjetividade é essencialmente histórica, isto é, varia com os tempos e as circunstâncias.

Daí que na Igreja existencialmente periférica o único pecado grave seja o anacronismo, aquilo que está fora do tempo e não se adapta, portanto, aos gostos da mulher moderna, ou seja, a doutrina católica tradicional, tida como "ultrapassada" e "pelagiana". Os Franciscanos da Imaculada que o digam.

Tal repulsa à doutrina católica tradicional não difere, em essência, da rejeição de um traje fora de moda pelas clientes das lojas Marisa. Se a percepção axiológica subjetiva é o supremo juiz, tudo é moda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário