Pesquisar este blog

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

O padre Lanzetta ensina como interpretar o Vaticano II



Brilhante conferência do padre Serafino Lanzetta, dos Franciscanos da Imaculada, sobre as grandes linhas interpretativas do Concílio Vaticano II. Nela, o teólogo franciscano aborda o problema da hermenêutica conciliar a partir de algumas interpretações paradigmáticas, entre as quais as de Küng, Rahner, R. Laurentin e da escola de Bolonha.
Trata-se de uma conferência que demonstra grande capacidade de síntese e uma acuidade ímpar. A expressão é serena e clara; o raciocínio preciso e rigoroso. Uma conferência exemplar. Não é sequer possível imaginar que ela possa ter dado margem a medidas drásticas da parte da autoridade eclesiástica.
Daí o nosso estupor ante a intervenção vaticana contra esse padre, que foi nada menos que exilado numa aldeia da Áustria, sem poder dar sequência a seu trabalho acadêmico e teológico, que tantos frutos promete.
E esse estupor chega quase ao paroxismo quando sabemos que por trás dessas medidas drásticas está o cardeal brasileiro Dom João Braz de Aviz. Foi ele quem assinou a sentença contra os Franciscanos da Imaculada. E receio que seja difícil repetir a respeito do cardeal o que dissemos acerca do trabalho intelectual do pe. Lanzetta.
Para se ter ideia do absurdo da situação, veja-se abaixo o vídeo de uma palestra de Dom Braz de Aviz, o Calvo, proferida em Maringá alguns anos atrás e depois se faça a comparação entre o nível intelectual e espiritual de um e de outro.
Certamente existe uma hierarquia eclesiástica que deve ser respeitada, mas não se pode esquecer que existe também uma hierarquia intelectual e espiritual que não pode ser jogada no lixo. Um bom teólogo, ortodoxo quanto à doutrina, fiel a Cristo e à sua Igreja, tem de ser respeitado. Principalmente num momento da Igreja em que o trabalho intelectual atinge graus de inanidade sem precedentes. Se numa crise gravíssima como a de hoje, a hierarquia insiste em perseguir as poucas cabeças pensantes dentro da Igreja, onde vamos parar?



Para participar do abaixo-assinado que pede a demissão do padre Volpi, interventor nomeado pelo felliniano Dom João Braz de Aviz contra os Franciscanos da Imaculada, clique aqui.

Jesu sapientissime, miserere nobis.


Nenhum comentário:

Postar um comentário