Pesquisar este blog

domingo, 20 de outubro de 2013

Confessionários novos e velhos pecados



Os velhos confessionários, com suas grades e a disposição em ângulo reto do confessando ajoelhado e do sacerdote sentado, foram concebidos para reduzir ao mínimo os efeitos nocivos da inibição pessoal ao se denunciarem os próprios pecados. Como a confissão se faz à pessoa de Cristo, e não ao padre enquanto tal, a ideia era despersonalizar ao máximo a presença deste último, tornando-a invisível e sobretudo evitando a troca de olhares, revelação suprema da pessoa.

Os novos confessionários, ao contrário, em que padre e confessando se colocam frente à frente, exacerba esse lado humano, pessoal, entre dois homens, da confissão. O que certamente não ajuda na hora de acusar-se dos pecados mais difíceis e melindrosos, que são os gravíssimos pecados de sangue e de luxúria.

Ou seja, em vez de facilitar a confissão dos pecados que avassalam a nossa Sodoma de hoje, esses confessionários a inibem.

Gol de Inimigo. Mais um.

Um comentário:

  1. Olá, Luíz
    Tirei algumas fotos neste ano viajando pelo Brasil de alguns confessionários e pensei bem assim como vc disse: nossos pecados são os mesmos... não mudam.. que pena!!!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir