Pesquisar este blog

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Pastor pentecostal, crianças esfarrapadas e controle de natalidade



Pat Robertson, pastor pentecostal americano, uma espécie de versão americana do Bispo Macedo, recentemente, num de seus programas em rede nacional, se referiu às crianças de famílias numerosas como "ragamuffins", expressão pejorativa para crianças esfarrapadas e sujas, no contexto de uma defesa do controle da natalidade.

Mas eis que uma dessas crianças esfarrapadas e sujas respondeu brilhantemente à injúria na página do Facebook de churchmilitant.tv. Eis a tradução:

"Como uma pessoa dos Apalaches e a décima de 11 crianças de uma família cuja renda estava abaixo da linha da pobreza, devo dizer que a maioria das pessoas não sabem o que dizem quando falam sobre isso.

"Esfarrapadas e sujas", realmente! Meus pais queriam ter 12 filhos, mas o último se perdeu no caminho. Mamãe tinha 10 irmãos, e meu pai, 12.

Ninguém passou necessidade.Ninguém sentiu frio, nem passou fome.Os únicos que tiveram problemas foram os da geração atual, e só os que se afastaram da fé católica e da família.

Embora a renda de minha família estivesse abaixo da linha de pobreza, dávamos duro 12 horas por dia e sabíamos bem como trabalhar no campo, e nos valemos disso. Nossa ética de trabalho era excelente.Todos os 11 filhos de minha família se formaram na faculdade - a maioria com pós-graduação.

A pobreza não tem a ver com o grande número de filhos: nós trabalhávamos juntos para o bem da família.

A verdadeira pobreza NÃO consiste em falta de dinheiro, mas em falta de (exemplos de) ética no trabalho, falta de educação (ou falta de educação nos valores), falta de laços familiares - famílias desagregadas (ninguém para ajudar você quando cair), falta de caridade (a caridade deve começar na família), falta de capacidade para trabalhar em razão dos vícios (drogas e álcool).

As crianças de uma família estável e amorosa estão LONGE da pobreza, para toda a família. Vi isso muitas vezes por aqui. É mais fácil caírem na pobreza as famílias que têm poucos filhos".

Sábias palavras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário