Pesquisar este blog

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Cristo e o nada segundo Malebranche


Quisestes que vosso Filho tivesse também a glória de trabalhar, como vós, a partir do nada, não do ser, mas da santidade e da Justiça, e formasse de um mundo corrupto o Templo santo que habitareis eternamente.
(...)
Ó Jesus, quero viver e morrer na Religião que nos ensinastes, pois só ela concorda com o Juízo eterno que Deus faz necessariamente sobre Si mesmo; só ela diz de verdade a Deus que Ele é Deus ou exprime com nitidez o atributo essencial da Divindade e o nada da criatura. Sim, nada sou diante de Deus; nada posso junto a Ele sem Vossa mediação.

(Malebrenche, De l'adoration en Esprit et en Vérité)

Nenhum comentário:

Postar um comentário