Pesquisar este blog

quarta-feira, 13 de março de 2013

Rádio Vaticano: Deus é mãe


Ouvindo hoje a Rádio Vaticano, à espera da fumaça branca, eis que topo com um comentário de um padre acerca da primeira leitura de hoje (Isaías 49, 8-15). Diz ele que ali Deus se apresenta como mãe, nada mais, nada menos.


A que ponto chegou a confusão de sexos e a infiltração de doutrinas contaminadas no clero!


Isaías estabelece uma comparação entre a misericórdia divina e a misericórdia das mães:


Acaso pode a mulher esquecer-se do filho pequeno,

a ponto de não ter pena do fruto de seu ventre?
Se ela se esquecer, eu, porém, não me esquecerei de ti.

Deus se compara às mães, não se apresenta como mãe. Há uma enorme diferença entre a comparação e a identificação, o que o padre, de fé má ou de má fé ou ambas, faz questão de desconhecer, no afã de introduzir teses feministas na boca do pobre profeta.


É para dar fim a enormidades como essa que devemos prosseguir em nossas orações para que o Espírito Santo nos dê a graça de um sucessor de Pedro com força e sabedoria suficientes para restaurar a verdadeira doutrina da Fé na Igreja, hoje tão emporcalhada, mesmo em alguns setores do Vaticano.


Kyrie eleison, Christe eleison, Kyrie eleison.



NB: Atribuem as feministas ao Papa João Paulo I a tese de que Deus seja mãe. E dão como prova palavras supostamente pronunciadas por ele no dia 10 de setembro de 1978. Para azar delas, hoje está disponível um vídeo onde fica claro que João Paulo I jamais disse isso. O que ele disse é que o amor de Deus é pai e é mãe.
Mais um exemplo de má-fé da parte dos que querem introduzir teses heréticas no depósito da Fé. No pasarán, porém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário