Pesquisar este blog

domingo, 6 de janeiro de 2013

Raniero Cantalamessa e as dores do mundo



Reflexão do mirabolante frei Raniero Cantalamessa acerca da origem dos males entre os homens:

"As doenças são frutos de imprudência, de situações que poderiam ser evitadas, de descuidos do poder público, de 'violências' ambientais e humanas contra a natureza que exige respeito e amor."

Extraído de um sermão publicado num site carismático dedicado à promoção da autoestima (!!) entre os católicos. Aliás, todo o sermão merece ser lido, como exemplo paroxístico da perda da autêntica espiritualidade católica e de qualquer noção de integridade intelectual em certos setores centrais da Igreja. Frei Cantalamessa é capaz de pôr lado a lado conselhos da mais baixa autoajuda e a altíssima espiritualidade de Col 1,24, por exemplo. Sem pestanejar.

Como é possível que um defensor desse catolicismo morno, adocicado, aguado e vomitivo desempenhe há mais de 30 anos a função de pregador no Vaticano? Eis um mistério tenebroso e um sintoma da maior gravidade.


3 comentários:

  1. Querido amigo, como foi de Festas? Passou bem o Natal? Não deu pra passar aqui antes para lhe desejar um feliz 2013. Faço agora. Paz e bem e agradeço por todo o seu trabalho em favor da verdadeira fé e da verdade. Abraço, Nik.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Nik. Um ótimo 2013 para você também.

    ResponderExcluir
  3. RCCs CATÓLICOS?
    Satanás esforça-se para subverter os católicos alienando-os, mais ainda os mal formados ou deformados por sacerdotes e leigos apostasiados, como da comunista Teologia da Libertação-TL.
    Doutro lado, as seitas evangélicas quase todas pentecostais dissensas entre si, similares a centros espíritas e dos RCCs "auês" histérico-coletivos, praticantes de supostos exorcismos de maus espíritos, pessoas em aparentes transes rebeldes às normas da Igreja, falsos católicos.
    Há multis denuncias que Stálin e sucessores infiltram sistematicamente a Igreja desde a década de 30 de comunistas, como a TL aliada do PT, e mais sociedades secretas, como a maçonaria e protestantes, geradores de escândalos e dissensões internas - seria o caso dos RCCs - e facilitadores da divulgação para a caluniar, assim como a TL atuando por meio de comunistas sacerdotes ensinando a doutrina da Igreja socializada nas paroquias, CEBs, CIMIs e CPTs, até em acampamentos do MST...
    Acresçam-se as interpretações propositais fraudulento-sectárias do Vaticano II de falsa midia católica que proviriam até de altos membros dissidentes para a fustigar ainda mais na difícil missão de evangelizar.
    Situação complexa: a Igreja sofre conspirações internas como dos RCCs autonomistas, espalhafatosos e emotivistas, podendo até confundir fenômenos psicológicos com dons do Espírito Santo; os grupos RCCs são válidos se devidamente orientados por eclesiásticos competentes, sob rígidas normas às reuniões; agindo fora das normas determinadas, são garantidamente protestantes pentecostais travestidos de católicos.
    S João da Cruz adverte que: quando a alma procura estas comunicações carismáticas abre a porta ao demonio.
    Dever-se-ia melhor objetivar a fé, ao invés de ficar à cata de dons especiais carismáticos individuais que sugeririam egoísmo, orgulho e (ou) o típico luteranismo subjetivista: fé prazeirosa, êxtases, experiências místico-divinas, etc. Sobre o "falar em línguas", diz S Paulo: 1 Cor 14,19: Mas numa assembléia, prefiro dizer cinco palavras com a minha inteligência, para instruir também os outros, a dizer dez mil palavras em línguas. E em 1 Cor 14,22:...as línguas são um sinal não para os que crêem, mas para os que não crêem. São dons individuais, de difícil detecção se provém de si ou do animador com o grupo reunido, aportando mais individualismo que partilha de dons; idem, exorta-nos em aperfeiçoar-se na caridade que é perene. Veja 1 Cor 12,31 e 13+.
    Restrições maiores ao "repouso no Espírito" em reuniões, por necessitar de "aprofundamento, estudo e discernimento"; quanto a exorcismos, atente-se ao cânon 1172, reservado ao Ordinário local ou seu preposto para discernir com perícia e objetividade o caso, jamais exercido por afoitos dirigentes RCCs. Rejeitem-se veementemente imposição de mãos em (ou) gestos de pedidos de curas simulando algo mágico ou ações similares comunicando dons, fluidos espirituais etc.; evitem-se termos como "batismo, ministério" e similares para não suporem ambiguidades com os sacramentos.
    Aliás, o S Padre Bento XVI em viagem a Benin, África, como noutras ocasiões, criticou as liturgias "atraentes": emotividades e manifestações ruidosas ou culturais às celebrações litúrgicas como anti eclesiais, instando-nos a um cristianismo "mais simples, profundo e compreensível", sob normas oficiais da Igreja, afirmando que tais manifestações sentimentalistas provêem de seitas pentecostalistas "aparentemente compreensivas e atraentes" mas são "sincretismo religioso e pentecostalismo protestante", advertindo-nos jamais os imitar; caso contrário, aparentaria sincretismo oriundo da própria Igreja praticado por aparentes membros, confundindo os incautos.
    Há seitas autonomeadas RCCs sem vínculos com a Igreja; mais um esquema de enganação; mais um agregado aos grupos RCCs rebeldes cismáticos.


    ResponderExcluir