Pesquisar este blog

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Anselm Grün, a blasfêmia e o judaísmo

Anselm Grün

O diretor do grupo ACI (Agência Católica de Informações), Alejandro Bermúdez Rosell, em artigo divulgado no site Acidigital, acusa o monge gnóstico Anselm Grün de heresia e de divulgar ideias contrárias à doutrina da Igreja. Até aí morreu Neves. Duvido muito que Grün ou mesmo algum de seus entusiastas leitores tenha qualquer interesse pelo catolicismo e muito menos pela ortodoxia. É tudo puro New Age.

Mas o mais ridículo é a argumentação que é usada no artigo para atacar o monge herético:

O sacerdote jesuíta [!!] Gabino Tabossi também criticou a aproximação de Grün a diversas heresias e a teorias psicológicas contrárias ao ensino da Igreja.

Como exemplo, o Pe. Tabossi “assinalou que, em uma de suas obras, Grün considera a relação entre o Abraão e Isaac como "despótica e a que tem com Deus neurótica e fictícia".

"Tal interpretação, além de psicologista, é pouco ecumênica: que não saibam nossos irmãos maiores que um católico tratou como doente e desequilibrado ao progenitor do judaísmo!".


Ou seja, o cara escreve uma blasfêmia das mais primitivas e grosseiras, e tudo o que esse tétrico soi-disant seguidor de Santo Inácio de Loyola tem a dizer é que assim ele vai acabar ofendendo os rabinos! Que falta de educação! Isso sim é heresia!

Ou seja, ofender a Deus, à Igreja, aos grandes patriarcas do Velho Testamento, isso pode, sem problema. Mas mexer com os nossos irmãos maiores, ah, isso nunca.

E, aliás, como se os rabinos fossem perder tempo com uma nulidade como Grün...

Deprimente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário