Pesquisar este blog

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Escola de prostituição na Espanha; palavras "pai" e "mãe" proibidas na França


Sodoma, 25/9/2012
O site belga Express.be (em francês) vem em seu último número com duas grandes notícias para os admiradores de Marta Suplicy, Sérgio Cabal e pela comunidade vampirista em geral:

1) Na França, o governo maçônico de François Hollande (foto) acaba de banir de todos os textos oficiais franceses as palavras "pai" [père] e "mãe" [mère], consideradas insultuosas à comunidade gay. Elas serão substituídas pelo termo genérico "parents" [~progenitores]. Da mesma forma, foram banidos os termos "marido" [mari] e "mulher" [femme], oficialmente substituídos pelo politicamente correto "esposos". Na França, outrora a "filha mais velha da Igreja", de gloriosa memória, os casais homossexuais podem adotar crianças à vontade, sem problemas. Também é permitido de maneira irrestrita o aborto, praticado sempre pelas mães  pelos esposos com grande alegria e entusiasmo, sem miséria. A comunidade GLBTVXK, porém, continua revoltada e reclama de que os gays ainda não têm direito à maternidade assistida por médicos naquele país de passado tenebrosamente católico. Sinceramente, este vosso servo não tem ideia do que isso é, mas imagina que seja a implantação de um útero artificial nos intestinos de um dos "esposos", para receber artificialmente algum tipo de feto.

Nota também a revista que, pelo andar da carruagem, a proibição do incesto está por um fio. Taí um país adiantado - pelo menos quanto ao estado de putrefação.

Canibalismo, estamos chegando!

2) Em Valência, na Espanha, foi inaugurada uma escola profissionalizante para candidatas a prostitutas. Naquele país, a prostituição está liberada (como em todo o Ocidente, aliás) e cerca de 400 mil pessoas se dedicam profissionalmente a essa progressista e próspera atividade.

É por essas e outras que o Ocidente se indigna com os horrores do Irã e da Síria, que não têm nenhum desses avanços em suas sociedades. Bomba atômica neles!

Nenhum comentário:

Postar um comentário