Pesquisar este blog

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Quebra-cabeças especializados



O imperialismo do conhecimento especializado repousa no duvidoso pressuposto de que seja possível reconhecer e montar peças de um quebra-cabeças cujo número de peças, dimensões e forma desconhecemos e de que sequer sabemos se se trata mesmo de um quebra-cabeças.

sábado, 23 de junho de 2012

Felizes os convidados para a ceia do Senhor


Abre-se de novo a cada missa em nossas rarefeitas paróquias a perspectiva desde o Gólgota, cada vez mais nítida.
A minguada lista dos convidados ao banquete do Senhor, uns mais humildes que os outros, não deixa dúvidas sobre a infinita misericórdia de Deus, mas proclama também seu terrível juízo sobre o mundo de hoje.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Teologia da Libertação e RCC: duas faces da mesma arrogância

Almofadas para o repouso no "Espírito": só falta o frigobar

Duas faces da mesma moeda falsa. Ambas se pretendem as enviadas de Deus para consertar a Igreja e purificá-la da ganga que acumulou em sua viagem pelos séculos. Ambas se colocam acima da Tradição e olham com desprezo o sacrifício de séculos e séculos de santos e mártires silenciosos e humildes.

O problema não é revolucionar nada, nem reivindicar favores extraordinários do Espírito Santo, quer no "repouso", quer na rejeição e reforma da Tradição, mas reatar integralmente com essa corrente ininterrupta que veio de Cristo até nós, sem diluí-la e sem mutilá-la, assumir humildemente nosso lugar na fila dos séculos, sem querer dar aulas aos que nos precederam nem abolir o que edificaram.

Reza a tradição que os dons extraordinários do Espírito Santo, como "falar em línguas", cessaram com os tempos apostólicos. Depois disso, não há notícia de tais manifestações nos anais da Igreja. A RCC, juntamente com seus antecessores neste caminho, os pentecostais evangélicos americanos - a bela árvore cujos últimos e mais santos frutos são Edir Macedo, bispa Sônia, Silas Malafaia e R.R. Soares - afirma ser objeto de um novo Pentecostes, em que o Espírito Santo em pessoa distribuiria entre seus afiliados os mais extraordinários dons - dons sensíveis, é claro. Nada de manifestações intelectuais, a que o Espírito Santo em sua nova fase parece absolutamente avesso.

A árvore se conhece pelo fruto, porém. Vale a pena comparar os frutos espirituais do novo Pentecostes com os dos tempos de seca que antecederam a RCC. Temos, por um lado, nos tempos de aridez, Santo Agostinho, Santo Tomás de Aquino, Santa Teresa d'Ávila, São João da Cruz, São Bento, São Bernardo, Santo Anselmo. Em compensação, agora, nos tempos de plena manifestação do Espírito, temos padre Jonas Abib, padre Marcelo Rossi, padre Fábio de Melo, Dunga e professor Aquino. Cada um faça a sua própria avaliação.

Nos tempos de seca, o Espírito Santo manifestava-se, sim, de maneira extraordinária, a alguns poucos contemplativos, após longo caminho de ascese e purificação. Hoje, não é preciso tanto. Uma ou duas sessões de oração já bastam, e esse negócio de ascese está, é claro, definitivamente superado. Especialmente aptos a tais manifestações extáticas são os jovens e não tão jovens com rica experiência no uso de entorpecentes. Honni soit qui mal y pense.

Não é à toa que em tempos de tão iluminados movimentos, a Igreja tenha atingido o seu ponto mais baixo.

domingo, 17 de junho de 2012

Teologia da Libertação e NWO: Leonardo Bofe na Rio + 20

Foto Uol

O franciscano défroqué Leonardo Bofe, figura de destaque da Rio + 20, um dos principais eventos do circo da Nova Ordem Mundial para este ano.

Uma piada. Esse pessoal da TL posava de "revolucionário", mas na realidade marcou um nível insuperável de rastejante subserviência aos poderes deste mundo. Argh.

sábado, 16 de junho de 2012

Vatileaks: segredo de Polichinelo


Reportagem cômica publicada pelo Der Spiegel, o porta-voz oficioso da maçonaria alemã, e, em tradução brasileira, pelo Uol. Nela, a fraternal revista alemã denuncia a "obsessão pelas intrigas secretas" no Vaticano.

Só rindo. É o velho truque do batedor de carteiras que grita pega ladrão.

Aliás, não há mistério nenhum no caso do mordomo do Papa que entregava à "imprensa" os documentos pontifícios. Todos sabem que a Santa Sé vem há muitas décadas sendo monitorada pelos Grandes Orientes da vida e seus laranjas de vária espécie. A única novidade é que eles agora estão publicando as peças que lhes interessam, em vez de guardá-las para si. É importante deixar a Igreja sempre sob a acusação de escândalo.

Quando se chega à situação de reunir nas mãos de uma mesma máfia todos os meios de comunicação do Ocidente, é isso que acontece. Como baratas reunidas na cozinha de noite, basta acender a luz para que saiam correndo cada uma para o seu lado. É o que eles não querem deixar acontecer, pois morrem de medo da luz. Daí a blindagem da informação, o silêncio obrigatório e a obsessão dos Pedreiros com o controle total da informação. E o ódio a Cristo, Verdade e Luz da Luz, e à sua Igreja.

O problema é que a Igreja tem uma promessa do Verbo de que não sairá derrotada. Promessa que vem sendo cumprida à risca, a ponto de ser a Igreja a única instituição em plena atividade, ininterruptamente, desde os tempos de Cristo, em nosso pobre planetinha. Para desespero e vergonha dos Irmãos.

Nada de novo sob o sol.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Sinuca de bico na física



Interessante vídeo em que cientistas das mais importantes universidades do mundo admitem que a física chegou a um beco sem saída.

A relatividade de Einstein é incapaz de explicar os buracos negros, sem topar com monstruosidades como gravidade infinita, algo impensável.

Quando procuram resolver o problema tentando complementar a relatividade einsteiniana com a mecânica quântica de Heisenberg and friends, obtém-se não uma monstruosidade, mas uma somatória delas.

Se somarmos a isso o caso da Matéria Escura, um escândalo epistemológico ad hoc para explicar um erro de nada menos que 80% no cálculo da massa do universo - nada mau para uma ciência exata -, teremos o retrato do desastre.

Será o fim da maior hybris intelectual da história da humanidade?

terça-feira, 12 de junho de 2012

On Justice and Liberalism


´São recorrentes nos teóricos do liberalismo as metáforas lúdicas, que comparam o funcionamento do mercado divinizado com as competições esportivas e sua justiça imanente.

Para que o jogo seja limpo, porém, não basta haver liberdade e um mesmo regulamento para todos. Também é preciso que todos partam da mesma condição. De nada adianta haver igualdade nas regras, se alguns competidores  começam o campeonato com zero ponto e outros, com 50.

Sem isso, a competição não passa de marmelada. Como os campeonatos da vida real, aliás.

Missas do descarrego e preconceito contra a RCC

Missa do descarrego carismática

Amigos da RCC têm reclamado do que chamam de meu "preconceito" contra esse ramo pró-católico do movimento neopentecostal americano. Eles têm razão. É preciso reconhecer que se a RCC conseguir livrar-se de tudo o que tem de "renovação" e de "carismático", ela pode tornar-se um movimento católico muito decente.

Grandes avacalhadores: Hans Küng


Agora que melhores ventos parecem soprar sobre a barca de Pedro e começamos a ganhar certa distância da "selva oscura" da Grande Avacalhação pós-conciliar, podemos distinguir com maior clareza os contornos grotescos da enorme deturpação da mensagem cristã de que a Igreja foi vítima. Já é óbvio para todos o que tinham de risível  certas intervenções de pomposos teólogos chapa-branca do pós-Concílio.

É o caso deste impagável texto de Hans Küng, em que esse "pensador" enumera o que há de mais "fundamental" e "urgente" no Cristianismo:

"Que todos os cristãos  e igrejas cristãs na prática devem lutar: pelos direitos do homem e especialmente pela liberdade religiosa (no Ocidente como no Oriente), contra a injustiça econômica, social e racial, contra o analfabetismo, o alcoolismo, as drogas a a fome em geral, pelo Terceiro Mundo, pela compreensão internacional, pelo controle das armas, pela paz em todas as nações, pela ajuda médica, social e caritativa nos mais diversos setores; para auxiliar os homens em necessidades especiais e catástrofes naturais" (Hans Küng, O que deve permanecer na Igreja, Vozes, 1976, p 19-20).

É difícil acreditar que essa grotesca redução da mensagem do Logos encarnado a um aguado programa político meio maçônico, meio "jovem guarda" e meio muzarela tenha um dia gozado de prestígio dentro da Igreja.


domingo, 10 de junho de 2012

Parada Gay foi um fracasso:o povo não aguenta mais

Geraldo Alckmin na abertura da parada gay

A parada gay de São Paulo continua sua trajetória de decadência. É cada vez menor o número de participantes, segundo a própria mainstream media e a Polícia Militar.

Sinal evidente de que, mesmo submetido há anos a intenso bombardeio da mídia chapa branca gay, o povo de São Paulo não aguenta mais esse tipo de exploração política da trágica realidade da população homossexual deste país. De tão impopular, até mesmo os mais corruptos políticos evitaram aparecer por lá. Foi o caso do candidato petista à prefeitura de SP, Fernando Haddad, autor da infame cartilha gay vetada por Dilma Roussef sob pressão da sociedade civil.

A nota triste fica por conta de presença de Geraldo Alckmin na abertura do evento. Logo ele, que se diz católico. Depois vai comungar em Aparecida. Muito triste.

Quanto ao exagero na contagem do número de participantes por parte dos organizadores - assim como de seu pendant evangélico, a Marcha por "Jesus"- , ver esta curiosa reportagem da Folha. Em vez dos estrondosos 4 milhões habitualmente computados, aquele jornal pró-gay avaliou em 270 mil o número de participantes. Olha só o tamanho da mentira. E, a julgar pelas fotos, trata-se de uma estimativa mais do que generosa. Neste caso, a tentativa de manipulação foi tão escandalosa que chocou até mesmo um veículo notoriamente avesso à verdade como esse pasquim paulistano.

Como toda máfia, o lobby gay funciona à base de manipulação e mentira. A mínima verdade, por menor que seja, lhes é fatal.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Banco do Brasil financia show satanista de Madonna


Navegando pela internet, dei com uma reportagem sobre o show inaugural do tour de Madonna, em Tel Aviv, Israel. É o primeiro de uma série que vai percorrer e emporcalhar 30 países, inclusive a nossa pobre Terra de Santa Cruz.

Ali ficamos sabendo que a cantora "cabalista" inicia o show como era de se esperar, com imagens sacrílegas de crucifixos, monges semidespidos, sons de sinos e cantochão, tudo misturado com muito sangue e vísceras e incenso.

Uma vez que se trata da cantora oficial da Nova Ordem Mundial, nada disso é de estranhar.

Um pouco mais estranho, talvez, foi ver, ao abrir a minha página do Banco do Brasil, que o show satanista está sendo financiado por aquela instituição. Ou seja, pelo governo brasileiro. Ou seja, pelo dinheiro dos nossos impostos.

O mesmo dinheiro, aliás, que o mesmo governo tem tentado de todas maneiras aplicar no financiamento do aborto de adolescentes.

Mais uma cusparada no rosto do povo católico do Brasil.

Fiquei pensando: o que será que têm em comum o show da Madonna, a liberação do casamento gay e a liberação do aborto, para conseguirem tanto apoio do governo federal? Que será?

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Bíblia, imagens e idolatria


É idolatria tudo o que na imagem não seja transparência.
Do mesmo modo, tudo o que nas Escrituras não seja a voz unânime de Deus.
Mas como alcançar essa pureza sem os puros olhos, os puros ouvidos da Esposa de Cristo?

terça-feira, 5 de junho de 2012

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Manipulação e pecado


Ante a realidade da universal apostasia, coloca-se a questão: terá sido em vão o sacrifício da Cruz, já que todos se perdem?

Tentou-se uma primeira resposta transformando-se o Deus infinitamente bom e justo numa divindade boazinha e pusilânime, meio pateta, sem nenhuma autoridade para julgar ninguém: a hipóstase da passividade de importantes segmentos do catolicismo. Deus se curva ante o pecado: todos serão salvos, mesmo Sodoma, mesmo Satã.

Cumpre inverter a colocação. A justiça de Deus é infinita e eterna, o mal será julgado e punido.  Mas o ponto é: em tempos de neurolinguística, de coerção publicitária, de manipulação em todos os níveis, de apoteose da prostituição, de quem é a responsabilidade pela bestialização das massas? Das massas mesmas ou daqueles que a manipulam?

Se nos bons tempos em que não havia massificação e manipulação generalizadas ainda se podia falar em responsabilidade individual, o mesmo não acontece hoje. O homem massificado, prostituído pela hipersexualização da sociedade, entorpecido pelas drogas químicas e doutrinais já não é responsável por seus atos. E sem responsabilidade não pode haver culpa nem pecado, a não ser em quem o hipersexualizou e entorpeceu.


O que não significa, é claro, que o fã de Sílvio Santos e devoto da Igreja Universal não pequem. Pecam, mas na medida de sua reduzida humanidade. A parte do leão é mesmo da turminha do Mal, os chefinhos por trás do pano. Para estes, sem dúvida, as trevas e o ranger de dentes.

domingo, 3 de junho de 2012

A Eucaristia e os sentidos


Quando o Verbo se oferece como alimento em nossas bocas, é Ele que come o real. Só fica ainda de fora o sensível. A substância de Deus está entre nós, no meio de nós.

Daí a batalha de vida e morte do cristão contra os sentidos. É o território onde o Inimigo concentra todas as forças.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

A proteção da Fé e o diálogo inter-religioso




Quem conhece um pouco de história e sabe até onde as coisas podem chegar quando azedam as relações entre as religiões, como no caso da Guerra dos 30 anos, jamais poderá ser contra o bom entendimento entre elas. O diálogo é sempre melhor do que os canhões. A aproximação, porém, não deve deixar de ser acompanhada pela clara consciência dos perigos para a Fé a que tal contato pode expor os fiéis desavisados. Pois religiões há que em boa medida pregam o oposto do Cristianismo. Como incentivar tal diálogo sem ao mesmo tempo alertar para os riscos por elas representado?

Tais precauções, porém, muito raramente são tomadas. Ou será que alguém já ouviu falar em algum bispo pós-conciliar que alertasse os fiéis para esse tipo de perigo, pelo menos até bem pouco tempo atrás? São sempre palavras de incentivo ao ecumenismo. Quanto aos riscos de confusão e deturpação implícitos nesse tipo de encontro, nada. Silêncio absoluto.

Cristo, os fariseus e os evangélicos

Pentecostais demonstram entusiasmo espiritual com a prosperidade

A deterioração da Fé nas igrejas ditas pentecostais chegou a tais extremos que já não conseguem distinguir Jesus Cristo dos fariseus. Ou melhor, dão ganho de causa a estes últimos, pois em seu culto é o Velho Testamento que ganha a primazia sobre o Novo. Neles, nem uma palavra sobre a contrição, o arrependimento pelos pecados, a renúncia aos bens deste mundo, o serviço ao outro na pessoa dos mais carentes. Nada. Só "prosperidade".


Hino místico evangélico na interpretação dos Beatles

Não é à toa que, confundindo todas as bolas, essas seitas sejam unânimes no apoio ao sionismo... em nome do "sr. Jesus"!!