Pesquisar este blog

domingo, 20 de maio de 2012

O luteranismo e o aborto de fim de gravidez


Mesmo em nossos tristes tempos de Sodoma planetária, em que seria de esperar que mais negro que meia-noite não pudesse ficar e tivéssemos tocado no fundo do abismo, o Mal absoluto ainda encontra novos recursos e nos consegue surpreender.

É o caso do Dr. George Tiller, um médico americano especialista em abortos de fim de gravidez, ou seja, em assassinar bebês de seis, sete, oito e até nove meses de gestação. Além de serial killer, o Dr. Killer... digo Tiller, era também um grande entusiasta de sua atividade profissional, e costumava dizer que fazia  por amor, com o coração, esse tipo de aborto normalmente rejeitado pelos próprios profissionais do ramo. Sic. Sick! Recorde mundial de cinismo, com certeza.

Acabou assassinado com um tiro no olho disparado à queima-roupa por um psicopata, em 2009.

Mas o mais incrível foram as circunstâncias da morte. O Dr. Tiller foi assassinado dentro de uma igreja luterana (!), durante um serviço religioso (!!) onde participava na condição de ministro (!!!!).

O Mal tem mesmo profundezas insondáveis.

Confesso que isso foi uma surpresa para mim. Eu sabia que Lutero havia sido o principal responsável por uma das maiores catástrofes a atingir a humanidade, mas não tinha ideia de que seus sucessores estivessem investindo tão pesado no ramo de missas negras.

Vivendo e aprendendo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário