Pesquisar este blog

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Só pela Fé ou só pela má-fé? Lutero e as novidades teológicas.


Àqueles que criticam o protestantismo como Cristianismo meia-sola, respondem os discípulos de Lutero que são na verdade cristãos de duas solas: Sola Scriptura e Sola Fide.

Entremos de sola na segunda delas, a Sola Fide. Como se sabe, trata-se de uma tentativa de resposta à pergunta: "Como posso salvar-me?" Até Lutero, a resposta universal dada pela Igreja de Cristo à questão é a de que nos salvamos pela Fé e pelas obras. Foi o que sempre se ensinou e com base nessa doutrina viveram 15 séculos de cristãos.

Um belo dia, porém, chegou Lutero e lançou a teoria da Sola Fide, ou seja, só a Fé salva, e mais nada.

Uma consequência imediata dessa nova tese, e que foi de imediato observada pelos teólogos católicos fiéis à Tradição e a Roma, é que, se Lutero estivesse certo, todos os cristãos que viveram antes dele estariam errados. Ninguém antes dele ensinou a Sola Fide, e durante 1500 anos a doutrina oposta foi adotada universalmente pelos fiéis.

Ora, se todos os cristãos estiveram enganados sobre um ponto tão central de nossa Fé como o de como nos salvamos, isso quer dizer não só que sua salvação estava seriamente ameaçada, como também que Jesus teria mentido ao dizer que nos mandaria toda a Verdade com o Espírito Paráclito e que Ele mesmo estaria conosco todos os dias até o fim do mundo.

Qual foi a resposta de Lutero a esta crítica? Vejam só:

"Dizem os papistas: 'a tua doutrina é nova e os nossos antepassados nada sabiam sobre ela; portanto, se for verdadeira, todos eles estarão condenados'. Muito bem. Que nos importa qual o juízo que receberam aqueles que já partiram deste mundo? Hoje nós pregamos a palavra de Deus; basta ouvi-la e aceitá-la sem discussão. Não devemos ser como aqueles que estão sempre questionando e perguntando a Deus por que só revelou a sua pura doutrina atualmente e não para os tempos passados". (citado em Robert Sungenis, Not by Faith Alone, Queenship, 1997, p. xxxii.).

Se alguma vez houve no mundo uma resposta cínica, foi essa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário