Pesquisar este blog

sexta-feira, 6 de abril de 2012

A Cruz de Cristo e a mortificação


Entregando-se por nós na cruz, Cristo paga o resgate de nossos pecados com seu sangue e seu sofrimento.
Se quisermos, portanto, diminuir a paixão de Cristo na cruz, devemos, primeiro, reduzir ao mínimo o pecado em nossas vidas e, segundo, mortificar-nos para podermos pagar com nossa própria dor o pecado que nós mesmos cometemos e, pela comunhão dos santos, até os cometidos por outros.                                                                                                                                                                                                                                                                                                
Eis a simplíssima justificação da mortificação cristã, que tanto horror causa nos defensores do cristianismo jovial do pós-Concílio, mas tanto prestígio gozou nos 1960 anos que antecederam o Vaticano II.
Por exemplo, quando falavam a São Francisco de Borja de alguém como sendo um santo, respondia:
- Ele será um santo de verdade, se se mortificar de verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário