Pesquisar este blog

domingo, 11 de março de 2012

Surpreendente: É possível defender cientificamente o geocentrismo

Dr. Robert Sungenis

Se você pensa que a defesa do geocentrismo é coisa de analfabetos fanatizados, está muito enganado. É possível fazer uma defesa cientificamente coerente da hipótese da posição central da terra no universo com argumentos tirados do que há de melhor na física atual.

É o que pretende demonstrar Robert Sungenis, autor de uma tese de doutorado sobre o assunto, editada em 2 volumes com o título Galileo was wrong, the Church was right, e também de um website com o mesmo título.

O dr. Sungenis nasceu em uma família católica, mas se converteu ao protestantismo aos 19 anos de idade. Anos mais tarde, voltou à Igreja,  e desde então tem se destacado como um dos mais fortes apologetas da fé católica. Seus anos no protestantismo lhe deram um conhecimento fenomenal da Bíblia, o que, somado a uma profunda erudição no que se refere à doutrina católica, faz com que se torne praticamente invencível no debate contra os inimigos da Igreja. É possível assistir no Youtube a alguns de seus debates contra pastores evangélicos, verdadeiras brincadeiras de gato e rato onde o dr. Sungenis faz o que quer com os adversários.

A argumentação do dr. Sungenis em sua defesa do geocentrismo é técnica demais e está muito além do alcance de minha pobre ignorância na matéria. Mas basta ver a confusão em que ele  deixa os acadêmicos com quem debate para notar que sua tese está longe de ser ingênua. Para quem lê inglês, aqui vai uma breve  panorâmica das suas ideias a respeito do assunto.

À defesa científica da tese da posição central da terra no universo o dr. Sungenis soma uma defesa teológica do geocentrismo que, esta sim, posso avaliar. E digo que ela me impressionou. A força de sua argumentação pode ser avaliada nesta discussão com um padre liberal acerca da leitura literal da Bíblia. Sungenis passa como um trator por sobre a aguada hermenêutica do sacerdote. Dá até pena.

Embora a tese predominante, que sugere uma leitura simbólica do Gênesis, ainda me pareça deva ser a primeira escolha do católico, não deixa de ser uma boa surpresa saber que existe de novo hoje uma alternativa literalista a ela.

Se a ideia vai vingar, só Deus sabe, mas é impossível negar a coragem na fé e o brilho desse intelectual que nada contra a corrente para maior glória de Deus. Se a Igreja contasse com mais gente como o dr. Sungenis, o panorama religioso do mundo certamente não seria tão desolador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário