Pesquisar este blog

domingo, 18 de março de 2012

Música sacra, rock, racismo e animismo

Frei Bonizzi, sacerdote italiano adepto do Heavy Metal, 
gênero musical intimamente ligado ao satanismo

É triste ver que, mesmo repetidamente advertidos pelo Magistério, muitos padres até de boa vontade ainda não se deram conta de que o rock e a música pop em geral não se prestam ao culto católico. E isso não acidentalmente, mas por essência. A música pop é de natureza sensual, e o sensualismo é a antítese mesma da espiritualidade católica.

Uma rápida observação da história da música religiosa em suas relações com a sensualidade e a espiritualidade já basta para confirmar esta tese. Ouçamos a música sacra medieval e renascentista e veremos quão longe ela estava de qualquer sombra de sensualidade. Ouçamos a música, mesmo profana, que se faz num país ainda não conquistado pela "revolução sexual", como o Irã, e logo ficaremos impressionados com sua castidade.

Inversamente, se formos buscar a origem do  rock e do pop em geral vamos nos deparar com as religiões animistas da África, com sua sensualidade exacerbada. O rock é o filho bastardo das práticas rituais animistas e da decadência espiritual do Ocidente.

Não passa de um mito a ideia de que os negros sejam naturalmente mais sensuais e sua música exprima essa sensualidade biológica. Isso é literalmente racismo, uma tentativa de explicar a história por determinismo racial e biológico. Os ritmos sensuais do rock não vêm do DNA dos afrodescendentes, mas de seu background religioso animista, somado, mais recentemente, à exploração do mito do negro sexualmente livre pelos grupelhos de sempre, interessados em manipular as massa no sentido da destruição do cristianismo.

Aliás, essa tese, além de racista, é um insulto a um sem-número de religiosos e religiosas de ascendência africana, e de fé tão fervorosa como a de Santo Antão. O que pode ser confirmado pelo exame da frequência à missa em nossas igrejas. A maior parte dos que assistem à Eucaristia é composta por afrodescentes. O que prova o absurdo do mito.

Quem quiser saber mais sobre isso leia o clássico Libido Dominandi de E. Michael Jones, onde ele conta em pormenor a história da música pop americana e o programa político-ideológico-religioso que está por trás dela.

Aliás, basta um rápido olhar pela lista de mais vendidos do pop internacional para ver que a ligação entre satanismo e rock é das mais íntimas.

Assim, não basta pegar um rockinho de gafieira e socar nele uma letra que fale de "unção" e de "Senhor Jesus". Isso só serve para confundir as bolas e piorar a situação. Que os pentecostais se entreguem a essa música que chamam por ironia de Gospel, vá lá. Eles não têm história, não têm magistério nem são cristãos a não ser de nome. Mas nós católicos... tenha dó!

4 comentários:

  1. Nossa Senhora Rainha dos Anjos, mandai legiões celetiais contra os demônios que estão pevertendo as almas contra Deus!!!!

    ResponderExcluir
  2. AS MULTI FACES DO NEO ATEÍSMO: SOCIALISMO, OCULTISMO, ROCK SATÂNICO E NWO/SHA

    Os locais em que se concentram essas bandas e roqueiros muito doidões, bailes e desfiles carnavalescos lascivos, festinhas funks, shows como Lady Gaga e semelhantes, axés, festas halloweens ou doutros esquemas são explícitas perversões.

    Idem, as sexo-novelas, filmes e vídeos pornôs, assim como assistir e subsidiar os BBBs da vida iguais a streap-tease em boites ou montagem de filmes imorais em público, etc., os mais diversos estilos, ritmos e tendências, uma parafernália de som e agito totais, se embalando à base de álcool, drogas, sexo e todo tipo de perversão e alienação possíveis nos locais.

    De fato, esses estratagemas fazem parte de um plano satânico da Nova Era - NWO/SHA - de partidos socialistas/comunistas e sociedades secretas de desagregar as pessoas por meio de promiscuidades gerais, desfamiliarizando-as e alienando, destruindo todas as referências ético-moral-cristãs católicas.

    Disto pois redundarão nas divisões entre si, engajando cada uma em determinado movimento reivindicatório - luta de classes - atiçando sempre a competição, a cobiça e a inveja, subvertendo-as e impondo à adoção do aborto, uniões gays, glbts, pedofilia, indistinção sexual etc., situações que aumentarão a violência e facilitará futura dominação de um povo desintegrado, amoral, que será subjugado por um Estado socialista totalitário, opressor, materialista e ateu - uma patrulha ideológica social - são a síntese dos antecipados e soturnos projetos da NWO/SHA.

    Aliás, quem participa dos eventos acima favorece a mais a injustiça, por cooperar financeiramente para ingressar ou assistir às depravações, incentivando novas apresentações; além do mais, as bandas de roqueiros alucinados ou individuais apresentadoras de shows, bailes etc., são todos asseclas de satanás, provando-o por meio de muitas letras de músicas lascivas ou apologistas ao diabo - rock satânico, que possui ritmo "beat", da Wicca, excitante sexual - e mais: vícios e comportamentos gerais e algumas tatuagens específicas de seus seguidores, como escorpiões, cobras, lagartos, etc.

    Concluindo: tais situações configuram serem todos os participantes desses shows e locais de "PONTOS DE ENCONTRO E COMPARTILHAMENTO COM O DIABO E COM SEUS COMPARSAS NEO ATEÍSTAS".

    Acha uma boa idéia tomar parte disso, iniciando desde já sua parceria com o diabo para eternidade?

    Observe que frei(?) possui os dedos em posição chifrada, sinal de invocação de...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que o sinal com as mãos feito pelo padre vem da linguagem dos surdos-mudos na Itália. Mesmo assim, a intenção evidente é imitar a saudação satanista, marca registrada do "gênero musical" a que o frei se dedica. Fica a pergunta: que interesse pode ter para a pregação do Evangelho uma imitação desse tipo? Que "conversão" pode vir de uma coisa dessas? Esse pessoal está brincando com FOGO...

      Excluir