Pesquisar este blog

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Normas de redação e combate à homofobia


No âmbito do combate à homofobia, vem sendo articulado nos corredores do Congresso novo projeto de lei que proíbe, sob pena de reclusão mais multa, o uso da palavra "homem" para designar o conjunto da espécie humana. Tal uso seria criminalmente culpado de discriminação masculina, machismo, fascismo e homofobia.

Para impedir a expressão de tão odioso preconceito, a lei determina que o "ser humano" seja sempre designado por todas as suas expressões de gênero: homem ou mulher ou gay ou lésbica ou transexual.

Assim, de agora em diante a famosa frase de Aristóteles "O homem é um animal político" deve ser assim transcrita: "O homem ou mulher ou gay ou lésbica ou transexual é um animal político ou política".

O mesmo se aplica a sinônimos da palavra "homem", como "varão" ou "barão" no português quinhentista. Com isso, o famoso verso inicial de Os Lusíadas

As armas e os barões assinalados

passaria a ser grafado:

As armas e os barões ou mulheres ou gays ou lésbicas ou transexuais assinalados ou assinaladas

O que proporciona também um ganho estético não desprezível.

O desrespeito à lei será punido com pena de três meses a cinco anos de detenção sob regime fechado, mais multa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário