Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Malachi Martin


Dizem vozes autorizadas que o padre tradicionalista irlandês Malachi Martin teria sido um traidor, que se teria vendido à anti-Igreja durante o Concílio, de que participou como secretário do cardeal Bea. Li os argumentos apresentados pela acusação. Alguns documentos são mesmo estranhos, mas estão longe de constituir prova cabal de culpa.

De qualquer forma, não são suficientes para tirar o mérito das obras do padre Martin, certamente um dos autores católicos mais talentosos do século XX. Homem de vastíssima erudição, escritor genial, o padre Martin falava 20 (vinte) idiomas.

No Brasil, foram editados dois livros dele, um sobre os Jesuítas - ordem de que fazia parte até se desligar, por desavenças quanto aos descaminhos tomados depois do Concílio Vaticano II - e outro sobre possessões demoníacas - Reféns do Diabo. Ambos são leitura obrigatória. O segundo conta a história de 5 casos reais de exorcismos, praticados por sacerdotes do círculo de relações do padre Martin - ele mesmo um exorcista.

 Para os que leem inglês, ainda mais obrigatória é a leitura do seu capolavoro, o monumental Windswept House, romance sobre a infiltração do Mal nos recintos da Igreja de Cristo, sobre a extensa malha satânica que rege o planeta  e as forças que a combatem em nome de Cristo. E que serão vencedoras, como sabemos pela promessa do mesmo Verbo encarnado.

Kyrie Eleison, Christe Eleison, Kyrie eleison.

Nenhum comentário:

Postar um comentário