Pesquisar este blog

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

São Bernardo acerca da solidão



Além disso, só nos prescrevem a solidão de espírito e de alma. Estamos sós quando nosso pensamento não está voltado para as preocupações comuns, quando nos separamos do presente e desdenhamos o que busca a multidão.
Também sós quando não temos nenhum gosto pelo que se costuma desejar, quando evitamos as discussões, permanecemos insensíveis aos prejuízos sofridos e nos esquecemos das injúrias.
Senão, mesmo na solidão do corpo não estaremos sós.
Entendam bem que podemos estar sós em meio à multidão e misturados à gente na solidão.
Somos solitários, seja qual for a aglomeração ao nosso redor, desde que evitemos examinar com demasiada curiosidade a conduta do outro ou julgá-la temerariamente.
(São Bernardo de Claraval)

Nenhum comentário:

Postar um comentário