Pesquisar este blog

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Bento XVI em Assis 2011



Bento XVI convocou um novo encontro inter-religioso a ser realizado em Assis ainda este ano.

Todos conhecem o grande escândalo que foi o primeiro encontro de Assis em 1986, convocado por JP2. Entre outras pérolas, foi colocada num altar de igreja, para fins de culto, uma imagem de Buda, sobre as relíquias de São Vitorino, mártir da fé.

Graças a Deus, Bento XVI não é JP2 e, portanto, temos certeza de que tais enormidades não se repetirão. No entanto, permanece a dúvida sobre a validade, a legitimidade e a utilidade desse tipo de encontro.

Em seu livro Fé, verdade e tolerância, o mesmo Bento XVI  tece considerações sobre os perigos desse tipo de encontro:

"Tal processo leva quase forçosamente a falsas interpretações, à indiferença ante o conteúdo do que se crê e não se crê e, com isso, à dissolução da fé real. Por isso, tais processos têm de ser excepcionais e, sobretudo, é da maior importância esclarecer cuidadosamente o que acontece e o que não acontece nesse caso." (p. 101 da tradução brasileira, da Ramon Lull, grifo meu).

Ora, num mundo em que a grande mídia está em sua totalidade nas mãos de seitas anticristãs e sobretudo anticatólicas, cuja raison d'être é justamente deturpar a mensagem do Verbo encarnado, como arriscar-se a algo que justamente depende de uma explicação clara para não ser desvirtuado?  Não é preciso esperar para saber que a mensagem do encontro de Assis será interpretada pela mídia como mais um gesto no sentido maçônico de que todas as religiões têm o mesmo valor, qual seja, nulo.

Não resta dúvida de que por trás de iniciativas como essa ainda pesa a catastrófica herança de JP2, que estabeleceu uma rede de declaraçõezinhas, papeizinhos e compromissos com todas as seitas possíveis e imagináveis do planeta. Tal emaranhado não pode ser desfeito do dia para a noite. . Com a bagunça instaurada e legada por JP2 - bagunça que ameaça até mesmo levar Bento XVI ao banco dos réus por crime - , não seria justo esperar que tudo fique em ordem antes de pelo menos um século.

Nenhum comentário:

Postar um comentário