Pesquisar este blog

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Suprema Corte e avacalhação da sociedade: EUA e Brasil

A Suprema Corte americana em 1932,
ainda um órgão independente

Com a definição por baixo do pano do "casamento"  gay como equivalente ao casamento entre um homem e uma mulher e agora com a libertação definitiva do assassino italiano Cesare Battisti, o STF não deixa mais nenhuma dúvida de que não podemos contar com ele se quisermos dar um futuro decente ao nosso país.

Expressão de um sistema jurídico fracassado e corrupto, que mistura a pior retórica esquerdizante com a pior prática elitizante - no Brasil, ricos e mafiosos jamais são presos - o STF se mostra como uma força tenebrosa a ameaçar a nossa sociedade, destruindo as últimas barreiras que ainda separam do caos o povo brasileiro.

Não se trata de algo inédito. Basta lembrar o caso dos EUA. Se algumas décadas atrás era um dos países mais cristãos do mundo, hoje se transformou no carro chefe da sodomização do planeta. Como foi que isso aconteceu?

Uma boa resposta é dada no livro de Paul Fisher, Behind the Lodge Door (Tan Books, 1994). Nele, o autor narra como a sociedade americana viu seus valores minados por sucessivas decisões da Suprema Corte, decisões estas ditadas pela alta cúpula da maçonaria americana. Fisher mostra como o órgão máximo da justiça americana, a partir de 1941, foi sendo aos poucos infiltrado e dominado por maçons radicais, dispostos a impor ao país o seu programa de descristianização: liberação do aborto, do divórcio, casamento gay, interpretação radical da separação entre igreja e estado como oposição entre igreja e estado etc. etc.

Não é difícil ver que este é um esquema que se repete hoje no Brasil.

Nada de novo sob o sol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário