Pesquisar este blog

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Dominique Strauss-em-Khana e a França como esgoto a céu aberto


Poderia parecer impossível, mas o panorama moral e político francês é tão abjeto, que até um lixo como o New York Times se escandaliza com o prostíbulo que é a política na França.


É o que se pode ler no artigo de Stephen Clarke sobre o caso Dominique Strauss-em-Khana.


Lembrando a sucessão de putarias ocorridas nos últimos tempos nos mais altos círculos da política francesa - notoriamente um dos quintais da maçonaria mundial - o repórter faz uma surpreendentemente justa referência histórica à Revolução Francesa. Vale a pena ler este trecho:


France may think it had a revolution, but in fact it just got a new, and even more powerful, elite. They believe themselves so indispensable to the running of the country that trying to topple one of them is a bit like threatening to shoot a prize racehorse for nibbling your lawn. You’re meant to shut up and let them nibble.
This is why the French establishment sees Mr. Strauss-Kahn — rather than the traumatized chambermaid the police say he attacked — as the victim. The same case would never have come out in the open in Paris. The woman would have been quietly asked whether she thought it was worth risking her job and her residence permit. She would have been reminded that it was her word against his, and frankly, whom would people believe? The witty, famous man with the influential friends, or the nobody?


[A França pode achar que teve uma revolução, mas na verdade está sujeita a uma nova e ainda mais poderosa elite. Eles se creem tão indispensáveis ao governo do país, que tentar derrubar um deles é mais ou menos como ameaçar atirar num puro-sangue campeão por pastar no seu gramado. Você deve ficar quietinho e deixá-lo pastar.
É por isso que o establishment francês vê o sr. Strauss-Kahn - e não a camareira traumatizada que a polícia diz que ele atacou - como a vítima.  O mesmo caso jamais viria a público em Paris. Perguntariam tranquilamente à mulher se vale a pena arriscar seu emprego e seu visto de residência. Lembrariam a ela que seria a sua palavra contra a dele e,  sinceramente, em quem as pessoas acreditariam? No homem esperto e famoso, com amigos influentes, ou num ninguém como ela?]


Quando a máfia se torna tão asquerosa que até o NYT reclama do mau cheiro, é que a coisa está realmente braba.


Pobre França. Pobre mundo.

Um comentário:

  1. Achei esta Oração interessante e deixo aqui o link dela para os interessados:

    Titulo dela é Oração Poderosa da Santa Cruz

    http://www.cientistaherbertalexandre.com/minhas-obras/obras-do-ano-de-2011/ora%C3%A7%C3%A3o%20poderosa%20da%20santa%20cruz/

    ResponderExcluir