Pesquisar este blog

sábado, 19 de fevereiro de 2011

A Fé, o conceito e o drama divino


Por que Deus, puro espírito e purus intellectus, pôs a Salvação na Fé, não no conceito?

O problema é que o ipsum ens subsistens e seu Lógos vivem em esferas tão superiores ao pobre conceito humano que só mesmo uma instância outra do que a razão podia receber os segredos de Deus, sua Revelação.

O drama divino acontece em regiões ônticas e epistêmicas tão inacessíveis ao homem, que a mente humana enquanto tal é absolutamente impotente para dizer uma palavra sequer sobre ele.

Um exemplo: se uma máquina do tempo nos transportasse para a Jerusalém do ano 33 e no domingo da Paixão víssemos o Calvário vazio, isso não significaria absolutamente nada para a Fé. Não há experiência crucial sobre o drama divino, nem mesmo na Cruz, porque seus atores não são objeto para o homem. Nem é preciso dizer que Deus dá o resultado que quiser à pergunta colocada pela experiência. A experiência científica é uma pergunta colocada à natureza, que se vê forçada a responder, se ela for posta com precisão. Mas impossível forçar Deus a dar alguma resposta. Deus não pode ser objeto de conceito ou de experiência.


E il naufragar mi è dolce in questo mare.

Nenhum comentário:

Postar um comentário