Pesquisar este blog

sábado, 8 de janeiro de 2011

Teologia do corpo e o triunfo de Sodoma



A ideologia teológica que acompanhou a catástrofe sexual do pontificado de João Paulo II chamava-se "teologia do corpo"  e tinha apenas uma falha: era absolutamente falsa. Falsa existencialmente, por invivenciável; falsa espiritualmente, por absolutamente hostil a qualquer espiritualidade autêntica. Falsa teologicamente, por pregar a convivência entre Cristo e Satã. Falsa historicamente, por romper a unidade da tradição ascética cristã.

É hora de voltar à milenar ascese cristã, santificada pelo exemplo do mesmo Cristo e dignificada por toda a legião de seus santos. Só assim Sodoma pode ser vencida.

Kyrie eleison, Christe eleison, Kyrie eleison.

PS: Para os que leem inglês, um artigo da Dra. Judith Reisman sobre o escândalo da adoção da perspectiva sodomita de Alfred Kinsey por teólogos soi-disant cristãos.

2 comentários:

  1. Kyrie eleison!
    Eis a verdade clara, nua e dolorosa que você com sabedoria e habilididade expõe.
    A volta à milenar ascese cristã - só a longo prazo - Papa Bento XVI era assessor mais próximo do Papa João Paulo II.

    Minha admiração pelo teu bom combate!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tula, muito obrigado pelo comentário elogioso!Vamos tentando com nossos parcos recursos fazer alguma coisa pela Igreja de Cristo, com a graça de Deus. Só discordo de você quanto a Bento XVI. Há um abismo entre ele e JP2. O fato de ter sido assessor dele não necessariamente significa afinidade. Veja que o cardeal Montini, o futuro Paulo VI, foi um importante assessor de Pio XII, e sabemos que não houve muita continuidade entre os dois pontificados. O problema é que JP2 deixou a Igreja em tal estado de baderna, que qualquer reforma levará tempo. Mas os primeiros frutos já se fazem ver.

    ResponderExcluir