Pesquisar este blog

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Proust e a história do protestantismo


Dizia Proust que todo grande amor percorre o círculo completo de suas possibilidades. Assim, Swann começa amando Odette, que o despreza, mas acaba loucamente apaixonada por ele, que por sua vez descobre que ela não fazia o seu tipo.

O mesmo se pode dizer do grande ódio. O protestantismo começou com acusações sobre simonia no caso das indulgências vendidas para a construção de São Pedro, em Roma, e hoje acaba melancolicamente na megassimonia dos Judas Macedos e outros boçais. Só o ódio à Igreja persiste: é a sua substância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário