Pesquisar este blog

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Os dogmas de fide, parte VII: os Sacramentos - Batismo e Crisma


1. Os sacramentos da Nova Aliança contêm a graça que significam e a conferem aos que não põem obstáculos a ela.
2. Os sacramentos agem ex opere operato.*
3. Todos os sacramentos da Nova Aliança conferem a graça santificante ao que os recebem.
4.Três sacramentos, o batismo, a confirmação e a ordem imprimem na alma um caráter, ou seja, uma marca espiritual indelével e, por isso, não podem ser reiterados.
5. O caráter sacramental é uma marca espiritual impressa na alma.
6.Todos os sacramentos da Nova Aliança foram instituídos por Jesus Cristo.
7. Há sete sacramentos da Lei Nova.
8. Os sacramentos da Lei nova são necessários aos homens para a salvação.
9. A validade e a eficácia do batismo são independentes da ortodoxia e do estado de graça do ministro. Para os demais sacramentos, a validade e a eficácia são independentes do estado de graça do ministro.
10. Para a administração válida dos sacramentos, é necessários que o ministro efetue exatamente o signo sacramental.
11. O ministro deve ter, além disso, a intenção pelo menos de fazer o que faz a Igreja.
12. Para a recepção digna e frutuosa dos sacramentos é necessária uma disposição moral no sujeito adulto.
13. O batismo é um verdadeiro sacramento instituído por Jesus Cristo.
14. A matéria distante do sacramento do batismo é a água natural comum.
15. O batismo confere a graça da justificação.
16. O batismo opera a remissão de todas as penas, eternas e temporais, devidas ao pecado.
17. O batismo recebido validamente, embora indignamente, imprime na alma do batizado uma marca espiritual indelével, o caráter batismal, e não pode, portanto, ser reiterado.
18. O batismo de água é necessário à salvação para todos os homens sem exceção, desde a promulgação do Evangelho.
19. O batismo pode ser dado validamente a toda pessoa.
20. O batismo pode ser recebido validamente a qualquer pessoa viva ainda não batizada.
21. O batismo das crianças sem o uso da razão é válido e permitido.
22. A confirmação (crisma) é um sacramento verdadeiro e propriamente dito.
23. A confirmação imprime na alma uma marca espiritual indelével, o caráter, e não pode, por isso, ser reiterada.
24. Só o bispo é ministro ordinário da confirmação.

*Ex opere operato: expressão da teologia escolástica; significa que a graça dos sacramentos é conferida objetivamente pela função sacramental, e não pela disposição subjetiva de quem a confere ou recebe (opus operantis) .

Nenhum comentário:

Postar um comentário