Pesquisar este blog

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Divindade de Jesus Cristo, fundamento da vida espiritual


A íntima convicção de que Jesus Verbo encarnado é verdadeiramente Deus constitui o primeiro fundamento de toda a nossa vida sobrenatural. Se tivermos compreendido esta verdade e se a pusermos em prática, a nossa vida interior será luminosa e fértil.

Toda a revelação está contida no testemunho que Deus nos dá de que Jesus Cristo é seu Filho, e toda a fé está contida na aceitação desse testemunho.

Se crermos, com efeito, na divindade de Cristo, ao mesmo tempo cremos em toda a revelação do Velho Testamento, que tem a sua realização em Cristo; cremos em toda a revelação do Novo Testamento, pois tudo o que os apóstolos e a Igreja nos ensinam não é senão o desenvolvimento da revelação de Cristo.

Aquele, pois, que aceita a divindade de Cristo abrange de uma só vez o conjunto de toda a Revelação. Jesus é o Verbo encarnado: o Verbo diz tudo o que Deus é, tudo o que Ele conhece: tal Verbo se encarna e revela Deus aos homens: Unigenitus qui est in sinu Patris ipse enarravit. E quando pela fé recebemos a Cristo, recebemos toda a Revelação.

A convicção profunda de que Cristo é Deus e de que Ele nos foi dado contém em si toda a nossa vida espiritual, e a nossa santidade decorre dessa íntima convicção como de sua fonte. A fé faz-nos penetrar através do véu da humanidade, que esconde a nossos olhos a divindade de Cristo; é ela que nos faz proclamar que Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem, igual a seu Pai e ao Espírito Santo em majestade, potência, sabedoria, amor, e nos joga num ato de intensa adoração e de abandono às vontades daquele que, sendo homem, permanece o que é: o Todo-Poderoso e a infinita perfeição.

(Beato Columba Marmion, Paroles de Vie en Marge du Missel, les èditions de Maredsous, 1959, p. 242)

Nenhum comentário:

Postar um comentário