Pesquisar este blog

domingo, 7 de novembro de 2010

Ernest Hello: Deus, o Ser e a Palavra


Ernet Hello (1828-1885)  foi um filósofo e escritor místico francês, cujos textos estão hoje injustamente esquecidos - como quase todos os grandes textos católicos, aliás. Foi muito admirado por Léon Bloy, Huysmans, Julien Green e até por escritores não-católicos, como Henri Michaux.

Bela reflexão de Ernest Hello acerca do Nome de Deus e da identidade entre o Ser e a Palavra, tal como se revelou em Jesus Cristo, Deus e Verbo de Deus.

As deslealdades do homem e a lealdade de Jeová

Jeová: Aquele que É, Aquele que cumpre as promessas: estas duas coisas são sinônimas.

Cumprir a promessa é a substância do ser. Dar a palavra é empenhar sua substância. Manter a palavra é resgatar sua substância. Faltar com a palavra é renegar sua substância, é desmenti-la, é aniquilá-la.

Dar a palavra é entregar sua substância entre as mãos de alguém. Manter a palavra é reivindicar seu ser. Faltar com a palavra é o suicídio essencial e radical da substância. E o desprezo, que é a consequência da palavra violada, nada mais é do que a consciência do nada que se exterioriza.

O desprezo dos outros é, para quem não cumpre a palavra, o espelho em que se reflete a infâmia essencial de sua desonra, pela qual, sendo tocado, o mesmo nada se sente conspurcado.

(Traduzido por Yours Trully de Ernest Hello, Du néant à Dieu, t. II, Paris, Perrin, 1921, pp. 16 e 17).

Um comentário:

  1. Isso é muito profundo mesmo, concordo plenamente embora nao tenha nenhuma religiao.A minha religiao é o respeito.
    Msilva

    ResponderExcluir