Pesquisar este blog

domingo, 5 de setembro de 2010

Quais são os dogmas católicos? O padre Ludwig Ott pode ajudar.

Capa da última edição alemã (2010)
do grande manual do padre Ott


Define a Catholic Encyclopedia: "Dogma é verdade que trate de fé ou moral, revelada por Deus, transmitida a partir dos Apóstolos na Escritura ou por tradição e proposta pela Igreja para aceitação do fiel. Pode ser descrita brevemente como verdade revelada definida pela Igreja."
Verdade revelada definida, pois. Os dogmas são como faróis situados nas fronteiras da Fé, para iluminar nosso caminho. Não podemos olhar diretamente para eles, pois de tão brilhantes não os vemos direito, mas servem para iluminar todas as outras verdades.


Verdade revelada definida que serve para iluminar nossa vida. Não há nada de obscuro ou de embaçado nisto. Ao contrário.


No entanto, como é possível que tais verdades definidas e propostas pela Igreja, tais faróis destinados a iluminar o nosso viver sejam tão difíceis de se encontrar? 


Vá o leitor a qualquer livraria católica e procure um livro que mostre uma lista sumária dos dogmas da Fé. Não a achará.


Será preciso outro farol para encontrar o farol?


Curiosamente, parece haver uma conspiração de silêncio ao redor do que deveria ser proclamado em mais alta voz, como altíssimo dom de Deus à Igreja e à humanidade para a nossa orientação e salvação.


Estranho, não é? Dir-se-ia até que tem gente interessada em  tornar as coisas mais nebulosas, sabe-se lá com que objetivo!


Nem sempre foi assim. Se o leitor tiver a felicidade de ler outras línguas - condição necessária para a independência intelectual hoje em dia - e tiver acesso a alguma biblioteca religiosa que não tenha sido arrasada e saqueada pelo famigerado "espírito do concílio", poderá encontrar alguns volumes sumamente esclarecedores a este respeito. Um deles é o fantástico livro do padre Ludwig Ott (1906-1985), Grundriss der Katolischen Dogmatik, traduzido para o inglês como Fundamentals of Catholic Faith, para o francês como Précis de Théologie Dogmatique e para o espanhol como Manual de Teología Dogmática. Era obra muito estudada antes do Concílio Vaticano II, e vem recentemente recuperando espaço. Nela são listados os principais dogmas, com suas respectivas fontes na Escritura e na tradição, além de outras sentenças teológicas classificadas por seu grau de certeza:


1. Verdades diretamente reveladas - grau máximo de certeza - que podem também ser proclamadas por uma definição solene do papa ou de um concílio - neste caso são "de fide definita".
2.  Verdades católicas ou ensinamentos eclesiásticos sobre os quais a Igreja fez um juízo infalível são objeto de um assentimento de fé que se baseia apenas na autoridade da Igreja (fides ecclesiastica). Estes dois primeiros graus constituem o dogma propriamente dito.

3. Chama-se sententia fidei proxima a doutrina teológica considerada pela quase generalidade dos teólogos (dos bons tempos, é claro) como verdade revelada, mas que a Igreja ainda não proclamou definitivamente como tal. Exemplo:  A graça santificante é dom sobrenatural criado, realmente distinto de Deus.
4. Sententia ad fidei pertinens ou "theologia certa" é a doutrina sobre a qual o magistério eclesiástico ainda não se pronunciou definitivamente, mas cuja verdade é garantida por sua conexão interna com o ensinamento revelado (conclusões teológicas). Exemplo: Deus não estava nem interiormente, nem exteriormente obrigado a salvar os homens.
5. Sententia communis é a doutrina que, em si, pertence ao domínio da livre discussão, mas é admitida pelos teólogos em geral. Exemplo: O Espírito Santo é a alma da Igreja.
6. Classificam-se entre as opiniões teológicas de menor grau de certeza a sententia probabilis, probabilior, bene fundata  e a sententia pia, assim chamada por sua conformidade com as convicções da Igreja. Exemplo: As almas do purgatório podem interceder em favor dos outros membros do corpo místico.


Não me consta que o livro de Ott tenha sido alguma vez traduzido em português; se o foi, seria muito bem-vinda uma reedição. Se não o foi, urge traduzi-lo.


PS: Aqui vão as traduções dos dogmas de fide tais como são enunciados por Ottem na primeira sessão e na segunda sessão do seu Manual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário