Pesquisar este blog

sábado, 11 de setembro de 2010

NY, 11 de setembro de 2001. Outras versões.

General Stubblebine
feroz crítico da versão oficial

Já se passaram nove anos desde o lúgubre atentado que destruiu as três torres em New York.
Nove anos, e muita coisa ainda está por ser contada.

Por exemplo: como pôde o WTC 7, um mais do que maciço arranha-céu de 47 andares, desabar em queda livre sem ser tocado pelos aviões?

Esta e dezenas de outras perguntas vêm recebendo novas respostas nos últimos tempos, sempre longe da grande imprensa.

Aqui vai um site para os curiosos incuráveis que ainda se preocupam com o destino da humanidade:

Patriots question 9/11 é uma federação de profissionais que arriscam suas carreiras em prol de uma investigação livre do que ocorreu em 11 de setembro. Reúne:

- Mais de 220 oficiais militares e ligados às questões de segurança e inteligência, dentre os quais ninguém menos do que o general Albert Stubblebine, ex-comandante em chefe de todos os serviços de espionagem - inclusive espionagem eletrônica, fotoespionagem e contraespionagem  - do Exército dos EUA (1981-1984); o general Wesley Clark, comandante supremo das forças do Exército americano na Europa, na África e no Oriente Médio e comandante supremo das forças da NATO de 1997 a 2001.
- Mais de 1200 engenheiros e arquitetos
- Mais de 250 pilotos profissionais de avião
- Mais de 400 professores universitários
- Mais de 300 sobreviventes de 11/9 e suas famílias
- Mais de 200 artistas

Pode até parecer que estes números sejam insignificantes, dada a magnitude do universo em questão, mas se prestarmos atenção no currículo impressionante de dezenas deles, no fato de que todos eles arriscam suas carreiras ao questionarem o dogma politicamente correto sobre 11 de setembro e no verdadeiro rolo compressor da grande mídia interessada em empurrar goela abaixo a versão oficial, tais números passam a ser imponentes.

Contestam a versão oficial em muitos pontos todos estes profissionais e parentes de vítima - dentre os quais uma multidão de  gente altamente especializada nas questões mais diretamente pertinentes ao problema: pilotos, engenheiros aeronáuticos, militares  e engenheiros civis .

Por que será que têm tão pouco espaço na mídia?

Seja qual for a resposta sobre o que está por trás daqueles acontecimentos sombrios, oremos hoje pelas almas das vítimas  deste momento especialmente vil da história humana.

Kyrie eleison, Christe eleison, Kyrie eleison.

Nenhum comentário:

Postar um comentário