Pesquisar este blog

sábado, 14 de agosto de 2010

Dembski acerca do pecado



Além de líder do movimento do Intelligent Design (Desenho Inteligente) ao lado do bioquímico Michael Behe, autor do clássico A Caixa Preta de Darwin, o matemático e filósofo americano William Dembski é também um teólogo profundo. Pena que ainda esteja inédito no Brasil, graças à cegueira das editoras católicas ou pretensamente tais.
Seu livro The End of Christianity é uma contribuição à teodiceia cristã destinada a se tornar clássica. A indústria da ciência popular - os Dawkins, Sagans e Goulds da vida - adora repetir que supostos defeitos na criação provariam a inexistência de um Deus ao mesmo tempo sumamente bom e omnipotente. É a velha questão do mistério da iniquidade, da presença do mal no mundo, só que vista agora sob o prisma da teoria da seleção natural darwiniana. Em seu livro, Dembski, cristão ortodoxo, formula uma resposta ao mesmo tempo inovadora e tradicionalíssima ao problema.
Na ausência do livro em português, aqui vai à guisa de aperitivo um trecho do livro, em que Dembski trata do pecado e de suas nefastas consequências. Tradução de Yours Truly.

Se Deus é tudo o que a teologia cristã ensina que Ele é, não passa de insanidade de nossa parte estarmos sempre a construir ídolos que nos impedem de encontrar a plena satisfação no Deus que só Ele é a nossa luz e salvação (Sl 27,1), que só Ele nos ama tão completamente, a ponto de tornar nossa a Sua vida (Gal 2,20; Col 3,14).
A gravidade do pecado consiste em ofender a um Deus santo. A nossa tendência natural é pensar que Deus é generoso demais para ressentir-se de qualquer ofensa que cometamos contra Ele. O problema não é que Deus pode suportar a ofensa, mas que nós não o podemos - ao ofendermos a Deus, arruinamos a imagem de Deus em nós mesmos e assim  perdemos o nosso próprio ser (self). Porque Deus é tudo o que a teologia cristã ensina que Ele é, ofender esse Deus é a pior coisa imaginável e supera todas as ofensas que cometemos uns contra os outros. Mas nos recusamos a ver isso.

(Traduzido de William Dembski, The End of Christianity: Finding a Good God in an Evil World; Nashville, B&H Publishing House, 2009; pp 45-46.)

Kyrie eleison, Christe eleyson, Kyrie eleison.

Nenhum comentário:

Postar um comentário