Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Bento XVI reúne-se com ex-alunos para refletir sobre a boa interpretação do Concílio Vaticano II

Bento XVI e o Cardeal Schönborn


Entre 27 e 29 de agosto de 2010, o Papa Bento XVI se reunirá com um grupo de ex-alunos – o « Ratzinger Schülerkreis » –, na residência papal de verão, em Castelgandolfo. Participarão, entre outros, Dom Kurt Koch, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade entre os Cristãos, o cardeal de Viena, Dom Christoph Schönborn, e o bispo auxiliar de Hamburgo, Dom Hans-Jochen Jaschke. Tais encontros tiveram início na década de 1970, quando o Papa ainda era professor em Ratisbona.


O tema do encontro deste ano será a hermenêutica do Concílio Vaticano II.  Um dos centro de reflexão das jornadas será muito provavelmente o discurso do Papa à Cúria romana no início do seu pontificado, em dezembro de 2005. Nele ressaltava o Papa que duas interpretações opostas vinham havia tempos degladiando-se no seio da Igreja: "a hermenêutica da descontinuidade e da ruptura", que considera o Concílio um começo absoluto e pretende fazer tábula rasa de toda a história da Igreja que o precedeu e, por outro lado "a hermenêutica da reforma, da renovação na continuidade". Segundo Bento XVI, a primeira teria provocado confusão e a segunda, "trazido bons frutos, silenciosamente, mas sempre"


O Concílio é, sem dúvida, um dos eventos mais complexos dos tempos modernos, ponto de convergência de todas as principais linhas  espirituais, filosóficas, culturais e políticas presentes na história do mundo moderno. Qualquer opinião definitiva a seu respeito ainda é e continuará sendo por muito tempo temerária. Mas uma coisa é certa: é completamente absurdo pensar a Igreja sem tradição e, portanto, sem continuidade. Jesus se encarnou para nos revelar uma doutrina de salvação, e a transmissão dessa doutrina está a cargo da Igreja. Ela constitui, justamente, a Tradição. A Igreja é a garantia de que essa Tradição se dê sem ruído, sem distorção. Daí, o rigor que ela sempre demonstrou ante as heresias, que formam esses ruídos na transmissão da mensagem de Cristo. 


 Se há alguma esperança para a Igreja - e Jesus Cristo nos garante que sempre haverá e que ela não será vã -, ela está em alguma forma ou variante da segunda interpretação. Queira Deus que a reunião de Castelgandolfo traga novas luzes aos participantes para caminharem neste sentido. 


Kyrie eleison. Christe eleison. Kyrie eleison.


(Extraído de DICI)

Nenhum comentário:

Postar um comentário